07 Fevereiro 2023, 07:39

Acionistas da Corticeira Amorim votam hoje contas até setembro e dividendo de 9 cêntimos

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Porto, 05 dez 2022 (Lusa) — Os acionistas da Corticeira Amorim votam hoje, em assembleia geral, as contas individuais dos primeiros nove meses do ano e a distribuição de um dividendo bruto de nove cêntimos por ação.


Segundo a proposta que o Conselho de Administração, os acionistas irão “deliberar sobre o balanço intercalar individual da sociedade reportado a trinta de setembro de 2022”, em que foi apurado um resultado líquido de 43,917 milhões de euros, que compara com 31,695 milhões de euros no mesmo período de 2021.


O segundo ponto da ordem de trabalhos é a aprovação da “distribuição de reservas distribuíveis no montante de Euro 11.970.000.00 (onze milhões, novecentos e setenta mil euros), equivalente ao valor bruto de Euro 0,09 (nove cêntimos) por ação”, a pagar no prazo máximo de 20 dias.


“O sólido crescimento da atividade e os bons resultados registados ao longo dos últimos exercícios vêm permitindo à Corticeira Amorim gerar ‘cash-flows’ crescentes, sendo assim possível efetuar uma distribuição de ‘reservas’ aos senhores acionistas sem colocar em causa a manutenção de uma eficiente e equilibrada estrutura de capitais do grupo Corticeira Amorim”, lê-se na proposta do Conselho de Administração.


Em termos consolidados, o lucro da Corticeira Amorim aumentou 10,6%, para 64,2 milhões de euros, nos primeiros nove meses deste ano face ao mesmo período de 2021.


“Após resultados atribuíveis aos interesses que não controlam, a Corticeira Amorim encerrou os primeiros nove meses de 2022 com um resultado líquido de 64,2 milhões de euros, um aumento de 10,6% face ao período homólogo”, lê-se num comunicado enviado a 07 de novembro pela empresa à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).


No período, as vendas do grupo aumentaram 24,0% em termos homólogos, para 790,3 milhões de euros, refletindo um “impacto significativo” da consolidação, desde 01 de janeiro, das empresas do grupo SACI. Excluindo este efeito, as vendas subiram 10,3%.



PD // JNM


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário