04 Dezembro 2021, 05:26

Acionistas da EDP Renováveis aprovam dividendos e órgãos sociais para próximos três anos

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Os acionistas da EDP Renováveis (EDPR) aprovaram em assembleia-geral (AG) um dividendo de oito cêntimos por ação e a eleição dos órgãos sociais para os próximos três anos.

Na nota à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o grupo adiantou que os acionistas aprovaram a proposta de aplicação de resultados, que inclui a transferência de 138,8 milhões de euros para reserva legal, 1,17 milhões de euros para reservas voluntárias e 69,8 milhões de euros para dividendos, o que, de acordo com o comunicado de apresentação de resultados de fevereiro deste ano, corresponde a um dividendo de oito cêntimos por ação.

Foi ainda deliberada favoravelmente “uma distribuição complementar a favor dos acionistas, proveniente de reservas voluntárias, de até 7.060.000 euros”, lê-se no comunicado.

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



Na reunião, foi ainda aprovada a reeleição – após a nomeação em 19 de janeiro passado – de Miguel Stilwell de Andrade como administrador executivo pelo mandato estatutário de três anos, bem como a reeleição de Rui Teixeira como administrador executivo pelo mesmo período.

Além disso, foi aprovada a reeleição, também por três anos, de Vera de Morais Pinto Pereira Carneiro como administradora dominical, de Ana Paula Garrido de Pina Marques também como administradora dominical, Manuel Menéndez Menéndez como administrador externo e os independentes Acácio Liberado Mota Piloto, Allan J. Katz e Joan Avalyn Dempsey.

A AG deliberou ainda favoravelmente a nomeação de António Sarmento Gomes Mota como administrador independente, de Miguel Nuno Simões Nunes Ferreira Setas como administrador dominical e de Rosa María García García e José Manuel Félix Morgado como independentes.

A reunião magna deu ainda luz verde ao “relatório de gestão individual da EDP Renováveis, S.A.” ao “relatório de gestão consolidado em conjunto com as suas subsidiárias” e “relatório de governo societário, correspondentes ao exercício findo a 31 de dezembro de 2020”, bem como ao “relatório de informação não financeira do grupo consolidado da EDP Renováveis, S.A., correspondente ao exercício findo a 31 de dezembro de 2020”.

Os acionistas aprovaram também a “gestão e atuação do Conselho de Administração e da sua Comissão Executiva durante o exercício findo a 31 de dezembro de 2020″ e a ratificação da “confiança depositada nos seus membros”.

A reunião magna deu ainda luz verde à política de remuneração da equipa de gestão da empresa e à reeleição, como auditor externo da EDP Renováveis, S.A. para os anos 2021, 2022 e 2023, da PricewaterhouseCoopers.

Os detentores de títulos da EDPR aprovaram ainda o aumento de capital de 1.500 milhões de euros realizado no início de março, através da colocação de 88.250.000 ações junto de investidores institucionais, representando 10,1% do capital social.

Os acionistas deram também luz verde à “delegação de poderes para formalização e execução de todas as deliberações adotadas na assembleia-geral anual de acionistas com o objetivo de celebrar as respetivas atas públicas e permitir a sua interpretação, correção e adição ou desenvolvimento de forma a obter os registos apropriados”.

Sem comentários

deixar um comentário