04 Julho 2022, 06:57

Administração do BCP proporá pagamento de dividendo mas “muito moderado”

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 28 fev 2022 (Lusa) – O presidente não executivo do BCP, Nuno Amado, disse hoje que a administração defende o retomar do pagamento de dividendos mas que irá propor a distribuição de um “valor muito moderado” relativamente a 2021.


“Entendemos que seria bom retomar o pagamento de dividendos relacionados com os resultados de 2021, mas iremos fazê-lo de forma moderada, a atual situação não ajuda”, afirmou Nuno Amado na conferência de imprensa de apresentação das contas do BCP de 2021.


O ‘chairman’ falou mesmo num dividendo de “valor muito moderado”.


A assembleia-geral que decidirá o pagamento do dividendo decorrerá em maio.


Nuno Amado disse ainda que no novo mandato (o atual terminou em final de 2021 e o próximo é 2022-2025) a intenção é que continue a atual administração, referindo-se tanto a si como a Miguel Maya (presidente executivo).


O BCP divulgou hoje que teve lucros de 138,1 milhões de euros em 2021, menos 24,6% do que em 2020.


De acordo com o banco, o resultado do ano passado foi influenciado por encargos de 532,6 milhões de euros devido aos créditos em francos suíços na operação da Polónia. Sem esses encargos, indica, teria tido um lucro de 404,9 milhões de euros.


O resultado inclui ainda custos de 90,7 milhões de euros com a reestruturação em Portugal. No ano passado saíram do BCP em termos líquidos 724 trabalhadores em Portugal.


O BCP tem como principal acionista o chinês Grupo Fosun, com 29,93% do capital social, seguido do angolano Grupo Sonangol, com 19,49%, tendo o fundo Blackrock 2,68% e o Grupo EDP 2,06%, segundo as últimas informações que constam do ‘site’ do banco (referentes a 30 de junho de 2021).



IM // CSJ


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário