13 Maio 2022, 21:45

África do Sul regista 50% de novos casos de covid-19 em pouco mais de 24 horas

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Joanesburgo, 05 mai 2022 (Lusa) – O número de novos casos de covid-19 na África do Sul aumentou mais de 50% em 24 horas, segundo dados oficiais publicados hoje, no que é uma nova vaga impulsionada por duas novas subvariantes da Ómicron.


O Instituto Nacional de Doenças Contagiosas identificou 9.757 novos casos de covid-19 no país, ou seja, 50% a mais em relação aos 6.170 novos casos registados na quarta-feira.


Segundo a instituição, mais de um quarto (25,9%) das pessoas testadas tiveram resultado positivo, a maior taxa registada em meses.


A doença covid-19 também provocou a morte de sete pessoas nos últimos dois dias.


A África do Sul, o país oficialmente mais atingido no continente pela doença covid-19, entrou numa nova vaga da pandemia, alertou no final de abril o Centro de Resposta a Epidemias e Inovação (CERI).


O país, com cerca de 60 milhões de habitantes, onde menos de 45% da população adulta está totalmente imunizada, registou oficialmente mais de 3,8 milhões de casos e cerca de 100.350 mortes.


No início de março, havia experimentado um período de 48 horas sem nenhuma morte ligada à covid-19, a primeira desde 2020. O Presidente Cyril Ramaphosa anunciou no início de abril o levantamento de todas as restrições legais ligadas à pandemia.


Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), duas novas subvariantes da Ómicron, cuja virulência ainda não foi determinada, estão por trás da nova onda da pandemia de covid-19 no país.


“Cientistas sul-africanos que identificaram a Ómicron no final do ano passado agora sinalizaram duas outras subvariantes da Ómicron, BA.4 e BA.5, como causando um aumento nos casos na África do Sul”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, na quarta-feira.


Hoje, as autoridades sul-africanas confirmaram a exigência de as crianças usarem máscaras na escola, pouco depois de terem anunciado o levantamento da medida.


O Departamento de Saúde da África do Sul emitiu uma declaração para esclarecer “a confusão gerada por um infeliz e lamentável erro humano”, que levou ao anúncio do fim desta medida de prevenção, algumas horas antes.


Toda a população, incluindo as crianças, deve continuar a cumprir as regras estabelecidas pelo departamento para combater a pandemia, incluindo a obrigação de usar máscara em locais públicos fechados.



EL (SMM) // LFS


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário