26 Janeiro 2022, 22:33

Aliados ocidentais anunciam novas sanções contra a Bielorrússia

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Washington, 02 dez 2021 (Lusa) — Os Estados Unidos, o Reino Unido, a União Europeia (UE) e o Canadá anunciaram hoje novas sanções económicas contra o regime da Bielorrússia, acusado de “repetidas violações dos direitos humanos” e de facilitar a imigração ilegal para a Europa.


“Continuamos comprometidos em apoiar as aspirações democráticas do povo da Bielorrússia e unimo-nos para impor custos ao regime – e àqueles que o apoiam – pelos seus esforços para silenciar as vozes da sociedade civil independente, dos ‘media’ e de todos os bielorrussos que procuram falar a verdade sobre o que está a acontecer no país”, escreveram os aliados numa declaração conjunta.


O documento faz uma dura crítica à atuação do regime do Presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, e promete duras sanções económicas, acusando-o de estar a usar migrantes como armas políticas contra o Ocidente.


“Exigimos, mais uma vez, ao regime de Lukashenko para que ponha fim imediata e integralmente à organização da migração irregular através das suas fronteiras com a UE”, salientam os aliados.


Num comunicado do Departamento de Estado norte-americano, o chefe da diplomacia dos EUA, Antony Blinken, lembra que esta á terceira vez que os aliados agem de forma concertada contra a Bielorrússia, acusando Lukashenko de “desrespeito pelos direitos humanos”.


Blinken explicou que o endurecimento das sanções demonstra “a nossa determinação inabalável de agir face a um regime brutal que reprime cada vez mais os bielorrussos, mina a paz e a segurança na Europa e continua a explorar pessoas que procuram apenas viver em liberdade”.


O Departamento de Tesouro dos EUA anunciou que tem como alvo 20 indivíduos e 12 organizações próximas do regime de Lukashenko, acusados de ter “facilitado a passagem (…) de migrantes para dentro da UE” e de ter “participado em atos de repressão contra os direitos humanos e a democracia”.


Do lado europeu, a lista de sanções da UE foi hoje oficialmente alargada a 28 funcionários e entidades, incluindo a companhia aérea nacional Belavia.


Na declaração conjunta, os aliados apelam ainda à “libertação incondicional e sem demora” dos quase 900 presos políticos, bem como a “implementação das recomendações da missão de peritos independentes, ao abrigo do Mecanismo de Moscovo da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE)”.


Os aliados dizem também desejar a realização na Bielorrússia de “novas eleições presidenciais livres e justas, sob observação internacional”.



RJP // PDF


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário