04 Dezembro 2021, 23:42

Andreia Faria espera “dificuldades” mas diz que a Sérvia “está ao alcance”

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 17 out 2021 (Lusa) — A futebolista Andreia Faria disse hoje que espera “dificuldades” no jogo de quinta-feira com a Sérvia, da fase de apuramento para o Mundial2023, mas garantiu que “o adversário está ao alcance de Portugal”.


“Se jogarmos de forma concentrada e organizada, e não formos displicentes, podemos ganhar o jogo como desejamos”, afirmou a centrocampista Andreia Faria, de 21 anos, aos canais de comunicação da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).


Andreia Faria adiantou que a ambição da seleção portuguesa passa por “conquistar os três pontos neste jogo no Estádio do Bonfim [com a Sérvia] e na Bulgária” e todos os elementos da seleção “estão unidos” e “sabem o que querem”.


“Vamos dar o máximo para concretizar o nosso objetivo, que é sair com seis pontos desta jornada dupla de qualificação. Temos de ser nós próprias, jogar o nosso futebol e ganhar”, adiantou.


Questionada sobre a presença de público no Estádio do Bonfim, o palco que vai acolher o Portugal-Sérvia, quinta-feira, pelas 18:00, Andreia Faria disse que “esse apoio pode ser determinante”.


“Queremos ultrapassar esta etapa de qualificação com sucesso. Jogar em casa com adeptos a torcerem pelas nossas cores irá com certeza ajudar-nos a ultrapassar a Sérvia. Contamos com o apoio de todos em Setúbal”, admitiu.


O selecionador Francisco Neto ainda não teve, este domingo, à sua disposição todas as jogadoras convocadas: Jéssica Silva (Kansas City), Tatiana Pinto (Levante), Inês Pereira (Servette) e Suzane Pires (Ferroviária) só integram os trabalhos na segunda-feira, devido a compromissos nos respetivos clubes.


Com um empate na Turquia (1-1) e uma goleada em Israel (4-0), Portugal soma quatro pontos no Grupo H de qualificação para o Mundial2023, menos dois que a líder Alemanha, que venceu os dois jogos que disputou. Sérvia e Bulgária ainda não pontuaram.


A seleção nacional esteve sucessivamente nas qualificações para os Mundiais desde 1999, mas nunca conseguiu o apuramento. Na sua última fase de qualificação, para o Mundial de França, em 2019, a equipa das ‘quinas’ ficou na terceira posição do seu grupo, atrás de Itália e Bélgica.


As seleções europeias têm direito a 11 lugares diretos no Mundial2023, a disputar na Nova Zelândia e na Austrália, com nove a saírem dos vencedores dos grupos de apuramento e mais duas encontradas através de ‘play-offs’.



APS // AJO


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário