24 Dezembro 2022, 14:56

António Costa cancela deslocação ao Qatar para assistir a jogo de Portugal por motivos de saúde

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



O primeiro-ministro cancelou a sua deslocação ao Qatar para assistir na sexta-feira ao jogo da seleção portuguesa frente à Coreia do Sul, do Mundial2022 de futebol, por motivos de saúde, disse hoje à Lusa fonte oficial do seu gabinete.

António Costa será substituído pela ministra dos Assuntos Parlamentares, Ana Catarina Mendes, que tem a tutela do Desporto, acrescentou a mesma fonte.

Depois do triunfo face ao Gana (3-2) na ronda inaugural, Portugal venceu na segunda-feira em Lusail o Uruguai (2-0) graças a um ‘bis’ de Bruno Fernandes (54 e 90+3 minutos, o segundo de penálti), assegurando a presença nos oitavos de final da competição.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, assistiu ao jogo inaugural da seleção portuguesa, enquanto o presidente da Assembleia da República, Augusto Santos Silva, que é a segunda figura do Estado, esteve presente na partida de segunda-feira.

A presença das principais figuras do Estado no Qatar tem motivado polémica, pelas críticas que Marcelo e Costa fizeram à violação de direitos humanos naquele país, mantendo, contudo as deslocações previstas, que, no caso do chefe do Governo foi agora cancelada, mas por motivos de saúde.

Sem comentários

deixar um comentário