17 Setembro 2021, 08:32

António Costa visitou as obras da nova maternidade do Centro Hospitalar de Gaia/Espinho que estará a funcionar em 2022

© AMÂNDIA QUEIRÓS
Susana Faria AdministratorKeymaster

O Primeiro-Ministro, António Costa, visitou o Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho, acompanhado pela Ministra da Saúde, Marta Temido, onde inaugurou a Unidade de Cuidados Intensivos e Intermédios e foi ainda conhecer o espaço que dará lugar à futura ala de maternidade.

A nova maternidade do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho deverá estar concluída no final do ano e, de acordo com o presidente do conselho de administração, Rui Guimarães, estará pronta a receber “o primeiro bebé a 1 de janeiro de 2022”.

“Espero que possamos no dia 1 janeiro de 2022 ter aqui o primeiro bebé a nascer, e desde já fica convidado a assistir ao primeiro parto”, disse Rui Guimarães, desafiando António Costa.

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



Esta nova unidade representa um investimento de 12 milhões de euros e será apetrechada com um serviço de urgência obstétrica e ginecológica, um bloco de partos com nove salas individuais, um bloco operatório contíguo a esta sala e uma unidade de neonatologia com cuidados intensivos neonatais equipada com 14 boxes e dois quartos de isolamento com pressão negativa.

A nova área materno-infantil terá ainda 16 incubadoras, das quais 10 para cuidados intermédios e seis para intensivos, internamento de ginecologia/obstetrícia e berçário com 34 quartos e internamento de pediatria e cirurgia pediátrica com 14 quartos.

Atualmente, a área materno-infantil funciona na unidade localizada no centro da cidade de Gaia, sendo o objetivo fazer a transferência da unidade II para a unidade I, “não só por uma questão geográfica, mas também em nome da eficiência e da adequação de resultados”, sublinhou Rui Guimarães.

O presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar de Gaia/Espinho salientou que esta empreitada surgiu depois de março, “durante os meses em que nos foi possível respirar um pouco fundo”.

“Temos pulgas, somos irrequietos e não podíamos estar parados e, portanto, fizemos o lançamento deste novo desafio”, frisou o presidente, referindo ainda que “estamos no maior concelho do Norte do País e faz sentido darmos condições para quem contribui com filhos para o País”.

Ministra da Saúde salientou contribuição para a melhoria do SNS

Rui Guimarães lembrou também o grande feito do Centro Hospitalar de Gaia/Espinho, onde em 90 dias foi construída uma Unidade de Cuidados Intensivos.

O presidente do conselho de administração disse ter sido “encostado com uma faca” por António Costa e mostrou-se satisfeito por ter cumprido com o objetivo proposto pelo Primeiro-Ministro.

António Costa, por sua vez, abordou a promessa feita por Rui Guimarães e ressalvou o esforço da administração do hospital que está já a avançar com novas obras para que no final do ano tenha o seu novo Centro de Saúde materno-infantil.

“Quando cá estive, o Dr. Rui Guimarães disse que iriam fazer uma Unidade de Cuidados Intensivos em 90 dias. No final do ano a unidade estava concluída e pronta numa altura em que estas estruturas atingiram números assustadores”, referiu António Costa.

A Ministra da Saúde, Marta Temido, após a visita, agradeceu “o enorme empenho na realização destas várias iniciativas” que mostram que, “para além de termos continuado a trabalhar durante uma pandemia, estamos a recuperar e a melhorar o Serviço Nacional de Saúde (SNS)”.

A Unidade de Cuidados Intensivos que foi construída em 90 dias, representou um investimento de 5,7 milhões de euros e conta com 28 camas, incluindo seis quartos de isolamento, estando equipada com ventiladores e monitores de última geração.

Sem comentários

deixar um comentário