11 Agosto 2022, 11:17

Associação promove oficina de criação de instrumentos musicais em barro em Montalegre

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Montalegre, Vila Real, 12 set 2021 (Lusa) — Uma associação de Paradela do Rio, no concelho de Montalegre, vai organizar uma oficina de criação de instrumentos musicais em barro que contará com a presença do ceramista mexicano Hernán Vargas, disse à Lusa a responsável.


Este ‘workshop’, que vai decorrer entre 19 e 25 de setembro em Paradela do Rio, no concelho de Montalegre, distrito de Vila Real, terá como formador o ceramista mexicano Hernán Vargas, que durante uma semana irá ensinar os princípios de construção de instrumentos em barro, explicou à Lusa a responsável da associação Acendalha, Carolina Carvalho.


Esta associação é um coletivo de artistas, entusiastas, produtores de eventos, uma comunidade baseada em Paradela do Rio e nasceu de uma vontade de criar projetos artísticos e eventos culturais.


Entre as iniciativas está a formação de uma “orquestra de barro”, ou seja, a reunião de “um coletivo de pessoas que explorem instrumentos feito neste material e o seu som”.


“Isto começou porque houve uma vontade de criar uma orquestra de instrumentos de barro. Então, começámos a desenhar um projeto, que começava por experimentar e fazer instrumentos e nada melhor que convidar e envolver alguém que explora este tema, como a sua prática artística principal, o ceramista e músico Hernán Vargas”, salientou a responsável, de 28 anos, natural de Paradela do Rio.


Hernán Vargas, a partir de técnicas de modelação e construção em cerâmica, dará a possibilidade para a exploração de sistemas sonoros para fazer instrumentos de vento, de percussão, esculturas sonoras e aproximações a instrumentos de cordas, estabelecendo as bases teóricas e práticas de construção dos instrumentos de sopro, percussão, cordas e esculturas sonoras.


“O grupo vai explorar dentro da sua total liberdade esses princípios. Não é suposto construir algo em concreto, não é fazer instrumentos que já existam noutras formas”, salientou.


A oficina vai decorrer no espaço de cerâmica artística Arte da Terra.


“A formação será para dez pessoas no máximo. Este coletivo vem para cá aprender e esperamos que faça parte do projeto que venha a seguir, pois esta oficina vai iniciar um projeto que se chama SUBBARRO”, concretizou.


O SUBBARRO pretende realizar várias residências artísticas destinadas à criação de instrumentos e repertório musical.


“Nestas residências iremos convidar músicos e ceramistas para integrar e orientar a equipa, assim como alguns participantes da primeira oficina SUBBARRO. Serão no mínimo duas residências focadas na criação de instrumentos, criação musical e gravação de um álbum”, explicou a responsável da associação.


“Depois dos instrumentos feitos, vem a exploração musical, o intercâmbio entre a música e cerâmica, feito para músicos e ceramistas”, acrescentou.


Para Carolina Carvalho, “é incrível” este não ser um projeto fechado e que tenha “pano para mangas”.


“Tem tudo para crescer, mas agora vamos ver o que vai acontecer. A vontade é ser um projeto em continuação e não só um ‘workshop’ que vamos fazer uma única vez”, referiu.



DYMC // TDI


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário