18 Outubro 2021, 14:33

Autárquicas: Arranca período de inscrição para voto antecipado de eleitores em confinamento

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Redação, 16 set 2021 (Lusa) — O prazo para requerer o voto antecipado nas autárquicas para eleitores que estejam em confinamento obrigatório devido à covid-19 ou que residam em estruturas residenciais das quais não devam ausentar-se devido à pandemia começou hoje e decorre até domingo.


O requerimento do voto antecipado destes eleitores é feito através da plataforma eletrónica disponibilizada pela Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna (SGMAI), com o endereço www.votoantecipado.mai.gov.pt, ou “pode ainda ser efetuado na freguesia correspondente à morada do recenseamento por quem, mediante exibição de procuração simples, acompanhada de cópia do documento de identificação civil do requerente, represente o eleitor”.


Segundo informação da SGMAI, nestas eleições autárquicas, que se realizam em 26 de setembro, “não está, legalmente, prevista a possibilidade de voto antecipado em mobilidade”, ou seja, não é possível o seu exercício a todos os eleitores recenseados no território nacional no sétimo dia anterior ao das eleições (domingo), numa mesa de voto antecipado escolhida pelo eleitor.


Assim, a possibilidade de voto antecipado nestas eleições dirige-se aos eleitores que estejam em confinamento obrigatório por causa da covid-19, “no respetivo domicílio ou noutro local definido ou autorizado pelas autoridades de saúde que não em estabelecimento hospitalar, desde que se encontrem recenseados no concelho da morada do local de confinamento e a medida tenha sido decretada até ao 8.º dia anterior ao do sufrágio (18 de setembro, inclusive) e por um período que inviabilize a deslocação à assembleia de voto”.


O exercício do direito de voto antecipado aplica-se também aos “eleitores internados em estruturas residenciais (lares) e instituições similares, que não em estabelecimento hospitalar, e que não se devam ausentar das mesmas em virtude da pandemia da doença covid-19, desde que se encontrem recenseados no concelho da morada da instituição”, informou a SGMAI.


Nestes duas situações – confinamento obrigatório ou residência em estruturas residenciais – a votação decorre entre terça-feira e quarta-feira, 21 e 22 de setembro, e os eleitores devem “aguardar, em dia e hora previamente anunciados, a presença do funcionário municipal, ou de quem o substitua, na morada indicada e onde se encontra, para exercer o seu direito de voto”.


Outra das situações previstas para o voto antecipado refere-se aos eleitores que por motivos profissionais estejam impedidos de se deslocar à assembleia de voto no dia da eleição e, para o efeito, devem apresentar-se na Câmara Municipal da sua área de recenseamento, fazendo-se acompanhar do documento comprovativo do impedimento, entre hoje e terça-feira (16 e 21 de setembro).


Antes desta possibilidade de voto antecipado, os eleitores doentes internados num estabelecimento hospitalar, detidos num estabelecimento prisional ou estudantes de um estabelecimento de ensino “situado em território nacional e em distrito, região autónoma ou ilha diferente daquele por onde se encontra inscrito no recenseamento eleitoral” puderam requerer também o seu exercício, até 06 de setembro, por via postal ou por meios eletrónicos, ao presidente da Câmara Municipal da área onde se encontram recenseados.


O período de recolha desses votos junto de estabelecimentos hospitalares, prisionais ou de ensino termina hoje, dia 16 de setembro.


Nestas eleições autárquicas, que se realizam em 26 de setembro, apresentam-se, no total, mais de duas dezenas de partidos e mais de 60 grupos de cidadãos.


Segundo os mais recentes dados do recenseamento disponibilizados pela Administração Eleitoral da Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna, um total de 9.323.688 eleitores podem votar na escolha dos membros das 308 câmaras e outras tantas assembleias municipais, bem como das 3.091 assembleias de freguesia (no Corvo não há este órgão).


Dos inscritos, 29.814 são cidadãos estrangeiros, 13.924 dos quais naturais de Estados-membros da União Europeia e 15.890 de países terceiros, nomeadamente Cabo Verde, Brasil, Reino Unido e Venezuela.


O ministério indicou ainda que, “com a inalterabilidade dos cadernos eleitorais, ocorrida em 11 de setembro, ficaram também definidos os locais de voto indicados pelas câmaras municipais e juntas de freguesia para instalar um total de 13.821 secções de voto, o que corresponde a uma média de 675 eleitores por mesa”.


As eleições decorrem entre as 08:00 e as 20:00 locais de 26 de setembro, e a campanha oficial iniciou-se no dia 14 e termina 24.



SSM (ROC/SYL/RCS/MLS/VAM/FPA) // ROC



Lusa/fim

Sem comentários

deixar um comentário