19 Junho 2021, 04:21

Rio diz que PS e Rui Moreira “estão feitos” no Porto, mas não assumem

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

O presidente do PSD classificou hoje o nome anunciado pelo PS para a Câmara do Porto como uma candidatura “acessória”, dizendo que “o PS e Rui Moreira estão feitos, mas não têm a hombridade de o assumir frontalmente”.

Ontem, fonte da distrital do PS/Porto confirmou que o atual secretário de Estado da Mobilidade, Eduardo Pinheiro, foi convidado para encabeçar a candidatura socialista à presidência da Câmara Municipal da cidade.

Numa publicação na sua conta oficial na rede social Twitter, Rui Rio considerou hoje que “a solução de António Costa para o Porto” confirma o que tem dito sobre o assunto, depois de já ter acusado os socialistas de “entrosamento” com o atual autarca do Porto.

“O PS e Rui Moreira estão feitos, mas não têm a hombridade de o assumir frontalmente. A candidatura principal já pouco tem de independente e a acessória apenas aspira a tentar evitar que o PSD ganhe as eleições”, criticou.

Já no final de maio, Rio tinha defendido que “há obviamente um entrosamento entre o PS e Rui Moreira”, numa altura em que os socialistas ainda não tinham revelado o seu candidato à segunda maior autarquia do País.

“O Dr. António Costa aposta claramente no dr. Rui Moreira, independentemente da acusação penal ou não, e o PS prepara-se – no caso de o dr. Rui Moreira se recandidatar – para ir a eleições fazendo figura de corpo presente. Na prática, o que dr. António Costa quer é evitar que o PSD ganhe a Câmara do Porto, se é o dr. Rui Moreira ou o PS é absolutamente indiferente”, apontou.

O presidente do PSD também já disse que, se estivesse na situação de Rui Moreira – que irá a julgamento no processo Selminho – não se recandidataria à Câmara Municipal do Porto, alertando para o “risco” que este corre de ter de “sair pela porta de trás” da autarquia.

“Conhecendo eu o Porto, a honra, o respeito que as pessoas veem na figura institucional do presidente da Câmara do Porto, correr o risco de, a meio do mandato, pela primeira vez na história da cidade do Porto, um presidente ter de sair não pela porta da frente, mas pela porta de trás, com um tribunal a dizer ‘perdeste o mandato, rua porque cometeste um crime’… é muito mau para o Porto”, afirmou.

Eduardo Pinheiro, de 42 anos, é um dos cinco secretários de Estado que o Governo nomeou, em abril de 2020, ao abrigo do estado de emergência, para cumprirem a missão de coordenação regional do combate à pandemia causada pela Covid-19.

O atual secretário de Estado da Mobilidade foi vice-presidente de Guilherme Pinto na Câmara Municipal de Matosinhos.

Aquando da renúncia de Guilherme Pinto ao mandato por razões de saúde, Eduardo Pinheiro assumiu, em fevereiro de 2017, funções como presidente da autarquia de Matosinhos.

Sem comentários

deixar um comentário