08 Setembro 2022, 16:55

Autocarro gratuito de Penafiel até à Agrival é novidade no regresso da feira

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

A Feira Agrícola do Vale de Sousa (Agrival), em Penafiel, regressa sexta-feira, após dois anos de interregno, devido à covid-19, disponibilizando, pela primeira vez, transporte gratuito a partir do centro da cidade, disse hoje a organização.

Segundo o vereador Adolfo Amílcar, da Câmara de Penafiel, será disponibilizado um autocarro, no campo da feira, no centro daquela cidade do distrito o Porto, que transportará as pessoas até ao pavilhão de exposições, nos arredores da área urbana, onde decorrerá a 41.ª edição da Agrival, até 28 de agosto.

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



A viatura fará aquela viagem, nos dois sentidos, de 15 em 15 minutos, sublinhando à agência Lusa que foi a forma encontrada para tentar diminuir as dificuldades de estacionamento de automóveis junto ao pavilhão de exposições. O autarca recordou que este ano, devido às recentes obras na variante da cidade, que eliminaram vários lugares de estacionamento, será ainda mais difícil parar as viaturas na zona da Agrival.

Com o autocarro, assinalou, as pessoas das freguesias e de concelhos vizinhos podem deixar os carros nos parques gratuitos que existem no campo de feira e viajarem “confortavelmente e sem custos” até ao certame, entre as 19:00 e uma hora da manhã.

Outra novidade para a edição deste ano é a possibilidade de aquisição ‘online’ de bilhetes que passarão a ser digitais.

Uma terceira alteração, explicou, tem a ver com o acesso às zonas dos bares, que funcionarão até às 03:30, mas cujos bilhetes custarão o mesmo valor que os ingressos no certame (cinco euros) e só podem ser vendidos até à 01:30.

Os ingressos gratuitos na Agrival manter-se-ão para os utentes das instituições de solidariedade do concelho, famílias numerosas e bombeiros voluntários.

O certame reunirá 350 expositores, de vários setores de atividade, preenchendo a totalidade da área disponível, cerca de 25 mil metros quadrados.

A organização espera cerca de 150 mil visitantes, nos 10 dias da feira, um número semelhante ao verificado nas edições anteriores.

A mostra de gastronomia, com restaurantes de vários pontos do país, também regressará ao evento, numa tenda gigante montada no recinto.

Entretanto, devido ao impacto da covid-19 na economia da região, a edição deste ano da Agrival terá uma maior renovação nos expositores, porque, sinalizou Adolfo Amílcar, “lamentavelmente, algumas empresas que participaram no passado deixaram de existir”.

Por outro lado, a componente agrícola, a matriz da feira desde 1980, mantém-se, assinalou o vereador, destacando a exposição da feira de gado, a venda de maquinaria do setor e os concursos relacionados com o mundo rural, nomeadamente das cebolas, broa de milho e melão casca de carvalho, além da mostra de artesanato e conferências sobre o tema.

“Já tínhamos saudades”, comentou o autarca, a propósito do regresso do maior certame da região do Tâmega e Sousa, após dois anos de paragem devido à pandemia.

À Lusa, o vereador sinalizou a importância da Agrival para a economia da região, mas também o facto de o certame ser um local de convívio e reencontros da população, há mais de 40 anos.

Além da componente económica, o certame atrai todas as noites milhares de pessoas que assistem aos espetáculos de alguns dos artistas com maior notoriedade do país no palco principal.

Sem comentários

deixar um comentário