02 Julho 2022, 11:26

Autoridades francesas impediram 37 ataques islamitas desde 2017

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

As autoridades francesas impediram 37 ataques terroristas islamitas nos últimos quatro anos e conseguiram reduzir em 17% o número de atos anti-religiosos no ano em curso, informou o Governo francês, que determinou hoje o encerramento de uma mesquita.

O ministro do Interior francês, Gérald Darmanin, disse hoje que as autoridades francesas conseguiram evitar 37 ataques terroristas de grupos radicais islâmicos desde 2017, bem como seis ataques planeados por organizações de extrema-direita.

“A ameaça de extrema-direita existe. Mas a islâmica é muito forte”, disse Darmanin, num comunicado.

De acordo com Gérald Darmanin, o principal risco é “endógeno”, por parte, segundo precisou, de alguém que “pega numa faca ou numa espingarda e decide agir contra um judeu, um cristão, um bar homossexual ou um local de diversão frequentado por jovens”.

O ministro do Interior francês realçou ainda que os riscos que têm origem no exterior estão atualmente mais atenuados, mas que não podem ser excluídos.

“A ameaça que chamamos de exógena, de pessoas coordenadas vindas de outro país (…), como foi o caso do [sala de espetáculos em Paris] Bataclan (em novembro de 2015), não é impossível, mas está enfraquecida”, salientou Darmanin, admitindo que o período natalício “é muito complicado” em termos de segurança.

Gérald Darmanin acrescentou ainda que, de janeiro a outubro deste ano, cerca de 1.400 atos antirreligiosos foram registados em França, o que representa uma queda de 17,2% em relação ao mesmo período de 2019.

De acordo com os dados do Ministério do Interior, houve 686 ações anticristãs, em comparação com 921 em 2019; 523 antissemitas (-15%) e 171 anti-muçulmanos, o que, neste caso, implicou um aumento de 32%.

Perante estes dados, o Governo francês anunciou hoje que iniciou um processo para o encerramento administrativo da mesquita de Beauvais, no norte do país, considerando que os seus sermões radicais são “inaceitáveis”, por atacarem “cristãos, homossexuais e judeus”.

As autoridades do departamento de Oise confirmaram que estão a “considerar” aplicar a decisão de encerrar a mesquita de Beauvais por um prazo de até seis meses, alegando que os sermões ali proferidos incitam ao ódio e à violência.

 

Sem comentários

deixar um comentário