15 Maio 2022, 12:01

Autoridades procuram 26 passageiros de barco turístico que terá naufragado no norte do Japão

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Tóquio, 23 de abril 2022 (Lusa) – As autoridades marítimas do Japão estão a tentar localizar os 26 passageiros de um barco turístico que terá naufragado ao largo da península de Shiretoko, na ilha setentrional de Hokkaido, após emitir um pedido de socorro.


A tripulação do navio, o Kazu 1, entrou em contacto com a Guarda Costeira por volta das 13:15 locais (04:15 GMT) de hoje, pedindo ajuda porque a proa do navio estava inundada e a afundar, segundo dados avançados pela cadeia televisiva pública NHK.


Após perderem a comunicação com o navio, as autoridades costeiras enviaram para a zona cinco barcos de patrulha e dois helicópteros.


A cadeia televisiva japonesa NHK transmitiu ao vivo, a partir de um helicóptero, imagens das operações de busca que decorreram até ao anoitecer, mas, até então, não tinha sido encontrado nenhum vestígio da embarcação ou dos passageiros, que, de acordo com a última comunicação efetuada, tinham colocados os coletes salva-vidas.


Entre as 26 pessoas que viajavam no navio no momento do incidente, 24 eram passageiros, incluindo dois menores, sendo os dois restantes o capitão e um tripulante do convés.


De acordo com a empresa que opera o barco, com capacidade para 65 pessoas, estava previsto que o Kazu 1 saísse do porto de Utorohigashi, na cidade de Shari, às 10:00 da manhã e navegasse pelo Cabo Shiretoko, onde efetua passeios turísticos, para então regressar por volta de uma da tarde.


As águas estavam agitadas esta manhã na área e os barcos que tinham saído para pescar recolheram as redes e voltaram ao porto por volta do meio-dia, segundo disseram à NHK membros da cooperativa pesqueira de Utoro.


A Agência Meteorológica do Japão tinha emitido hoje um alerta para mar agitado e ondas fortes com ondas de até três ou quatro metros de altura nas águas do leste de Hokkaido, onde está localizada a península de Shiretoko.



PD // ZO


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário