08 Setembro 2022, 22:36

Autoridades ucranianas convidam Papa a visitar Bucha

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



O representante da Ucrânia no Vaticano, Andrii Yurash, disse hoje que a Ucrânia vai convidar o Papa para visitar Bucha, cidade perto de Kiev, para que veja as evidências dos alegados crimes de guerra da Rússia na Ucrânia.

Yurash declarou, numa entrevista à agência de notícias ANSA, que uma visita papal ainda está a ser negociada.

O representante ucraniano declarou que Kiev espera que Francisco viaje até “onde estão as vítimas inocentes, massacradas pelo Exército russo em Bucha, a apenas 15 quilómetros de Kiev, onde cerca de 1.400 vítimas foram encontradas” mortas.

Andrii Yurash declarou que “o lado ucraniano certamente proporá que Papa viaje até “Bucha para observar por si mesmo as evidências de crimes de guerra”.

A Rússia, que invadiu a Ucrânia em 24 de fevereiro, nega que tenham ocorrido crimes de guerra naquele país e alega que as cenas de civis mortos foram encenadas pelas autoridades ucranianas.

Yurash afirmou que Kiev gostaria que Francisco rezasse nos túmulos das vítimas inocentes destas alegadas atrocidades russas.

Sem comentários

deixar um comentário