18 Janeiro 2022, 08:23

Legislativas: Quase todos os universitários do Porto dizem que vão votar

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

A maioria (96%) dos estudantes do ensino superior da Federação Académica do Porto disseram que vão votar nas próximas eleições Legislativas de 30 de janeiro, indica um inquérito realizado pela Federação Académica do Porto (FAP).

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



O inquérito, realizado no âmbito das eleições Legislativas, e cujo objetivo é “conhecer a avaliação feita à ação da Assembleia da República e do Governo e as expectativas sobre o seu futuro em Portugal e um conjunto de medidas para o ensino superior e emprego jovem”, foi realizado entre 29 de dezembro de 2021 e 08 de janeiro e teve uma amostra de 2.011 estudantes, avançou à agência Lusa Cristiano Silva, secretário-geral da direção da FAP.

Um dos resultados do inquérito revela que 96% dos inquiridos afirmam que vão votar nas Legislativas. Nas Legislativas de 2019, 92% dos alunos com capacidade eleitoral disseram que votaram, o que demonstra “um forte sentido de responsabilidade e compromisso com os valores democráticos”, lê-se no documento.

O grau de satisfação dos estudantes com o desempenho da Assembleia da República (AR) “é superior ao demonstrado ao do Governo, ou seja, 45% dos estudantes mostram-se “moderadamente satisfeitos com a AR. No caso do grau de satisfação do Governo, a percentagem desce para os 35%”.

O inquérito demonstra também que 65% dos estudantes do ensino superior do Porto elegem o “programa político” como o fator principal para determinar o sentido de voto, enquanto que 17% dos inquiridos revela que decidem em função do líder partidário candidato a primeiro-ministro.

Dezasseis por cento dão primazia ao partido político e apenas 2% decidem de acordo com a lista de candidatos no seu círculo eleitoral.

Mais de metade (57%)dos estudantes assumiu que não conhecia nem acompanhava o trabalho desenvolvido pelos deputados eleitos pelo seu círculo eleitoral.

As três áreas de atuação eleitas pelos estudantes, que deveriam ser a prioridade para os próximos anos, são uma “melhor resposta ao sistema de saúde, políticas de criação de emprego digno e de qualidade” e “investimento na adaptação e combate às alterações climáticas”.

Outro resultado revela que “32% dos inquiridos pretende emigrar com o objetivo de obter rendimentos mais elevados”, enquanto que 68% respondeu que gostaria de desenvolver a carreira profissional em Portugal.

A percentagem de estudantes que perspetiva emigrar aumentou 8% em relação à registada em janeiro do ano passado.

As eleições legislativas estão marcadas para dia 30 de janeiro próximo.

Tags

Sem comentários

deixar um comentário