06 Dezembro 2022, 00:58

Novo Batalha Centro de Cinema no Porto abre ao público em fevereiro de 2022

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

O antigo Cinema Batalha, no Porto, deve reabrir como Centro de Cinema, em fevereiro de 2022, revelou hoje, em reunião camarária, o diretor artístico da estrutura cuja obras de reabilitação devem estar concluídas no final do ano.

Numa intervenção na reunião da Câmara do Porto, durante período antes da ordem do dia, Guilherme Blanc revelou, em resposta ao vereador do PSD, Álvaro Almeida, que a ideia que é que o Batalha Centro de Cinema possa abrir portas ao público em fevereiro, um mês e meio após o término das obras de reabilitação do edifício.

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



“Seria um erro abrir passada uma semana de terminada obra”, assinalou.

O diretor artístico salientou que este hiato de tempo permitirá assegurar que a sua equipa se adapte “à máquina nova”, assegurando que a operação corra da melhor forma.

A desempenhar funções desde o início do ano, o ex-diretor artístico no departamento de Arte e Cinema da empresa municipal Ágora, foi hoje anunciado pelo presidente da Câmara do Porto como o novo responsável pelo renovado Cinema Batalha, onde se pretende criar uma “relação expandida e crítica com os seus mais diversos públicos e agentes, permitindo que a cidade veja nascer uma instituição aberta, participada, estimulante e também divertida”.

Numa primeira apresentação sobre os objetivos programáticos do Batalha, Guilherme Blanc salientou que propõe para aquele equipamento “uma revisitação atual” e contemporânea da sua vocação original de centro cultural para o Cinema”, criando uma organização singular no nosso contexto, e no contexto internacional também”.

Segundo aquele responsável, o novo Batalha não pretende ter a missão exclusiva de programar cinema histórico, ou dedicar-se a estreias de filmes que entram no circuito comercial, mas antes propor uma programação que estimule o conhecimento e fruição cultural através das múltiplas formas de fazer e pensar o cinema.

Entre os principais eixos da missão programática, destaca-se a divulgação de obras e práticas fílmicas relevantes no cinema, a introdução de debates, o estabelecimento de parcerias com agentes programadores da cidade, ou o apoio à investigação.

Na sequência da apresentação, os vereadores da oposição – PS, PSD e CDU – congratularam-se com a devolução deste equipamento à cidade.

Pelo PS, Manuel Pizarro mostrou-se agradado com a devolução deste equipamento à cidade, acrescentando que o Cinema Batalha vai poder ser revivido “de uma forma criativa e moderna”.

O vereador do PSD, Álvaro Almeida, elogiou o projeto que considera “bem pensado e coerente”.

Lembrando o quanto foi “custoso” o tempo em que a cidade não pode utilizar este equipamento cultural, a vereadora da CDU Ilda Figueiredo recebeu com alegria a notícia de que dentro de um ano o Batalha vai estar a funcionar em pleno.

O Tribunal de Contas (TdC) emitiu em outubro de 2019 o parecer positivo para a empreitada de reabilitação do Cinema Batalha, orçada em 3,95 milhões de euros, anunciou então a Câmara do Porto.

A empreitada, que teve início teve início a 18 de novembro de 2019 foi adjudicada em junho à Teixeira, Pinto & Soares, S.A.

Para além de duas salas de projeção – a Sala Grande com 341 lugares e a Sala Estúdio com 126 lugares – o Batalha terá um espaço de galeria dedicado às artes visuais, uma biblioteca especializada em cinema, e ainda uma mediateca dedicada ao património fílmico da cidade do Porto.

O projeto, que está a cargo do arquiteto Alexandre Alves Costa e do Atelier 15 Arquitetura, contempla um bar, resultante da recuperação do antigo salão de chá e café e que estará equipado para exibições e performances.

Propriedade da empresa Neves & Pascaud, o imóvel foi sala de cinema entre 1947 e até 2000, ano em que foi encerrado. Manteve-se fechado até 2006, reabrindo como espaço cultural pelas mãos da Associação de Comerciantes do Porto (ACP).

No fim de dezembro de 2010, a ACP acabaria por entregar as chaves do edifício devido a “prejuízos mensais avultados”.

Sem comentários

deixar um comentário