20 Agosto 2022, 06:28

Biden anuncia hoje nomes para a equipa de segurança nacional do Governo dos EUA

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Washington, 24 nov 2020 (Lusa) — O Presidente eleito dos EUA, Joe Biden, continua hoje a anunciar os nomes da sua futura equipa governamental, com destaque para o setor da segurança nacional, procurando reverter a estratégia do Governo republicano de Donald Trump.


Na segunda-feira, Biden anunciou as primeiras escolhas para o seu futuro Governo, incluindo o nome de Antony Blinken como secretário de Estado, John Kerry para a pasta do combate às mudanças climáticas e Alejandro Mayorkas como secretário de Segurança Interna, o primeiro latino a ocupar este lugar.


As escolhas revelam uma preocupação de mudança fundamental em relação às políticas do Presidente republicano cessante, Donald Trump, e de encontrar figuras muito próximas do ex-Presidente Barack Obama.


Hoje, num evento em Wilmington, Delaware, esperam-se mais indicações de nomes para a futura equipa presidencial, em particular na área da segurança nacional onde Biden parece querer sinalizar a sua intenção de revogar a doutrina “A América Primeiro” do Governo de Trump.


Entre as escolhas que deverão ser hoje anunciadas esperam-se nomes como Michele Flournoy, uma veterana do Pentágono, que deverá ser indicada para o cargo de secretária de Defesa, sendo a primeira mulher neste cargo, Jake Sullivan, um conselheiro de longa data de Biden e Hillary Clinton, para conselheiro de segurança nacional da Casa Branca e Avril Haines, que deverá ser indicada para diretora dos serviços de inteligência nacional.


O Presidente eleito deverá ainda anunciar o nome da veterana diplomata Linda Thomas-Greenfield como futura embaixadora dos EUA nas Nações Unidas.


“Preciso de uma equipa pronta desde o primeiro dia”, escreveu Joe Biden num comunicado divulgado na segunda-feira, explicando que as suas escolhas recaíram sobre “pessoas tão experientes e testadas como inovadoras e criativas”.


Biden prometeu construir o Governo mais diversificado da história moderna de forma muito célere, mas Ron Klain, o futuro chefe de gabinete de Biden, disse no domingo que a recusa de Trump em facilitar a transição de poder — com denúncias de “fraude eleitoral” e contestando judicialmente os resultados eleitorais em alguns estados – está a atrasar todo o processo de constituição de equipas.



RJP // EL


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário