06 Dezembro 2022, 21:36

Bloco de partos de Portimão encerra entre as 21 horas de hoje e as 9 horas de segunda

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

O bloco de partos de Portimão vai encerrar entre as 21:00 de hoje e as 09:00 de segunda-feira devido à ausência de pediatras, disse à Lusa o administrador do Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA).

Em declarações à Lusa, Paulo Neves afirmou que o funcionamento das urgências de Ginecologia e Obstetrícia da unidade de Portimão do CHUA estará também condicionado, funcionando, durante esse período de 12 horas, apenas para grávidas até às 22 semanas.

“Na unidade de Portimão, a equipa médica mantém apoio à Urgência de Ginecologia e à Patologia Obstétrica até às 22 semanas, e transfere todas as grávidas em trabalho de parto, cesarianas e induções que não possam ser adiadas”, referiu.

De acordo com o administrador do CHUA, em Portimão, o atendimento será realizado por médicos não especialistas, sendo que o atendimento por pediatras será assegurado pelo serviço de Urgência Pediátrica da unidade hospitalar de Faro.

“O CHUA tem asseguradas as respostas em Pediatria e maternidade à região da sua responsabilidade”, garantiu o responsável.

O encerramento do bloco de partos da unidade de Portimão conduziu à entrada no nível 2 de contingência, segundo a orientação da Comissão de Acompanhamento, acrescentou.

A falta de pediatras levou a que, sobretudo durante o verão, o bloco de partos de Portimão estivesse algumas vezes encerrado, assim como as urgências de Ginecologia e Obstetrícia.

Nessa altura, sucederam-se os encerramentos das urgências de Ginecologia e Obstetrícia um pouco por todo o país, por dificuldades em assegurar escalas.

A então ministra da Saúde, Marta Temido, chegou a anunciar a criação de um plano de contingência para fazer face ao problema que se vive no setor, mas acabaria por pedir a demissão do cargo em 30 de agosto.

Na madrugada da sua demissão, uma mulher grávida morreu depois de ter sido transferida do Hospital de Santa Maria para o Hospital São Francisco Xavier, em Lisboa, por ausência de vagas no serviço de Neonatologia.

Em 10 de setembro tomou posse o novo ministro da Saúde, Manuel Pizarro, médico especialista em Medicina Interna e antigo secretário de Estado da Saúde nos dois executivos liderados por José Sócrates, entre 2008 e 2011.

Sem comentários

deixar um comentário