09 Setembro 2022, 10:06

Bolieiro elogia consenso entre partidos e defende rigor para Orçamento dos Açores

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Ponta Delgada, Açores, 05 fev 2021 (Lusa) — O presidente do Governo Regional dos Açores destacou hoje o “consenso e partilha de definição prioritária” entre partidos para o combate à pandemia e diz que vai implementar “mais rigor e mais exigência na boa administração de meios disponíveis”.


Depois de um dia audiências aos partidos, na preparação do Plano e Orçamento da região para 2021, José Manuel Bolieiro destacou o “consenso e partilha de definição prioritária”.


“Ficou claro que, nas definições prioritárias, é consensual que os efeitos da pandemia que vivemos têm de merecer, por parte do investimento público, prioridade máxima, na relação com o Serviço Regional de Saúde, para a sua capacitação e, com isso, garantir, de forma progressiva, a suficiência de meios financeiros face ao passado de subfinanciamento crónico”, concretizou.


O presidente do Governo Regional realçou ainda a “prioridade para contrariar os efeitos e as consequências negativas, quer de caráter social, quer de caráter económico”.


Num dia em que o reforço do investimento na saúde foi a questão mais abordada, o social-democrata ressalvou que o executivo tem “sempre possibilidade de enquadrar as necessidades de reforço de financiamento a vários níveis, também na sua calibragem, nos seus montantes”.


Bolieiro referiu ainda que este Governo tem uma “estratégia de mais rigor e mais exigência na boa administração de meios disponíveis e combate aos desperdícios”.


O executivo pretende “aproveitar as novas tecnologias para prestar mais com menos despesa, designadamente no âmbito do digital”.


Quanto às propostas que pretende acatar, ressalva que, “provavelmente acontecerá algumas divergências quanto à calibragem destas medidas”.


Os documentos que regem a governação terão, “obviamente, coerência quanto à orientação que o próprio programa do Governo prevê, e que não mereceu concordância na sua votação de outras forças [políticas]”.


“É mesmo assim. Nós vivemos com os consensos, mas também, democraticamente, com as diferenças e não deixamos de definir aquilo que é aceitável e acomodável, no quadro coerente da nossa estratégia, com aquela que também é a afirmação clara das diferenças e das disrupções que temos quanto às práticas anteriores, ou mesmo quanto às opiniões de alguns dos partidos políticos”, concluiu


Ao longo do dia de hoje, o presidente do Governo Regional, José Manuel Bolieiro, e o secretário regional das Finanças, Planeamento e Administração Pública, Joaquim Bastos e Silva, auscultaram os oito partidos com assento parlamentar sobre o Plano e Orçamento da região para 2021.


O documento será discutido e votado na Assembleia Regional até abril.


O Governo de coligação PSD/CDS-PP/PPM é suportado pela Iniciativa Liberal e pelo Chega.



ILYD //RBF


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário