06 Dezembro 2021, 14:56

Bolsas europeias em alta, após perdas provocadas pelos receios com aumento da inflação

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 20 mai 2021 (Lusa) — As principais bolsas europeias abriram hoje em alta, depois das perdas da véspera provocadas pelos receios dos investidores de que um aumento sustentado e generalizado da inflação provoque uma subida das taxas de juro.


Cerca das 08:55 em Lisboa, o EuroStoxx 600 avançava 0,68% para 439,30 pontos.


As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt subiam 0,45%, 0,56% e 0,67%, bem como as de Madrid e Milão, que se valorizavam 0,22% e 0,39%, respetivamente.


Depois de abrir em alta, a bolsa em Lisboa mantinha a tendência e, cerca das 08:55, o principal índice, o PSI20, avançava 0,44% para 5.243,03 pontos.


Assim, as bolsas europeias abriram em alta, depois de também Wall Street ter registado perdas moderadas numa sessão marcada pela publicação das atas da Reserva Federal dos Estados Unidos (Fed), que conseguiram apaziguar as tensões nos mercados.


A Fed reiterou que considera o aumento da inflação um fator “transitório” provocado pelo aumento da procura e por problemas pontuais na cadeia de fornecimento, ainda que tenha reconhecido que poderia começar a debater a redução da compra de dívida, segundo as atas da última reunião de política monetária, publicadas na quarta-feira.


A publicação das atas da Fed provocou uma nova subida dos juros da dívida soberana norte-americana a 10 anos, os que mais preocupam os investidores, mas que hoje estavam hoje a descer para 1,668%.


Os juros das dívidas soberanas da Europa continuavam hoje a subir, em muitos casos para máximos desde o verão de 2020.


Em 12 de maio, a divulgação da taxa de inflação nos EUA em abril, que foi superior ao previsto, já tinha afundado a bolsa de Wall Street e provocado uma nova subida dos juros das dívidas soberanas a nível mundial.


Em 14 de maio, a publicação das atas da reunião de política monetária de 22 de abril do Banco Central Europeu (BCE) mostrou que em abril a entidade não estava preocupada com o aumento da inflação na zona euro, já que espera ser algo “temporário”.


Naquela reunião, o BCE reiterou que iria aumentar as compras semanais de dívida.


A bolsa de Nova Iorque terminou em baixa na quarta-feira, com o Dow Jones a descer 0,48% para 33.896,04 pontos, contra o atual máximo de sempre desde que foi criado em 1896, de 34.777,76 pontos, registado em 07 de maio.


No mesmo sentido, o Nasdaq fechou a desvalorizar-se 0,03% para 13.299,74 pontos, contra o máximo de 14.138,78 pontos, registado em 26 de abril.


A nível cambial, o euro abriu em baixa no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,2196 dólares, contra 1,2211 dólares na quarta-feira e o atual máximo desde maio de 2018, de 1,2300 dólares, em 05 de janeiro.


O barril de petróleo Brent para entrega em julho abriu em alta no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, a cotar-se a 66,83 dólares, contra 66,66 dólares na quarta-feira e o máximo dos últimos seis meses, de 69,46 dólares em 17 de maio.



MC // SB


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário