27 Setembro 2022, 19:45

BTL é “espaço de reencontro” após dois anos “muito sofridos” — Secretária de Estado

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 16 mar 2022 (Lusa) — A secretária de Estado do Turismo considera que a 32.ª edição da Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), que arranca hoje após interrupção devido à pandemia, é “um espaço de reencontro” depois de dois anos “muito sofridos”.


“A BTL é sobretudo um espaço de reencontro, volvidos estes dois anos muito sofridos no que ao setor diz respeito e, portanto, as nossas expectativas são grandes”, disse Rita Marques à Lusa.


A secretária de Estado com a pasta do turismo destacou que esta edição do certame conta com “grande parte das empresas que estiveram nas edições anteriores”, o que significa que as empresas “mantêm-se vivas, ainda que em circunstâncias difíceis”.


“A mensagem positiva que queremos projetar na BTL passa, sobretudo, por dar nota de que a cadeia de valor do setor do turismo está viva, está disponível e tem todas as condições para acolher a procura, assim que ela surja”, realçou Rita Marques.


A governante apontou também algumas novidades desta edição, com destaque para o turismo literário, por ocasião do centenário de José Saramago, que se assinala este ano, bem como iniciativas relativas à inovação no setor.


Ainda assim, a secretária de Estado sublinhou que os empresários do turismo têm ainda “uma situação muito difícil em mãos”, uma vez que, apontou, serão necessários “vários anos para que os balanços contabilísticos das empresas possam recuperar” do impacto da pandemia de covid-19.


Ainda fragilizados, os empresários enfrentam agora novas dificuldades, devido à subida dos preços da energia, matérias-primas e bens alimentares, na sequência do conflito na Ucrânia.


“Isto é especialmente impactante, designadamente no que toca aos transportes terrestres de passageiros, mas também no que toca à conectividade internacional, tendo em conta, como sabemos, que grande parte dos custos das nossas companhias aéreas dependem justamente de um carburante, do ‘jet fuel’, que também foi fortemente impactado e, portanto, espera-se naturalmente uma subida de preços em toda a cadeia de valor”, afirmou Rita Marques.


“Até o momento, não temos evidência que essa escalada de preços esteja já a ocorrer, portanto, estamos à espera que ocorra, mas, nesta altura, ainda não é uma realidade”, acrescentou.


A BTL regressa hoje à FIL, em Lisboa, depois de uma pausa de dois anos, devido à pandemia, prolongando-se até domingo.


Para esta 32.ª edição, a BTL contará com um número superior a 1.400 expositores, segundo a organização, que escolheu “o Porto e Norte como Destino Nacional Convidado” em “reconhecimento do aumento de notoriedade que tem conquistado e do enorme crescimento no número de visitantes”, sendo que o município convidado deste ano é Anadia.



MPE (ALYN) // JNM


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário