06 Outubro 2022, 11:13

“BUS Pedestre” em Valongo ajuda alunos no trajeto diário a pé para a escola

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Alunos de quatro escolas do 1.º ciclo de Valongo são diariamente acompanhados a pé por adultos no âmbito do projeto da Câmara Municipal “BUS Pedestre”, que pretende mudar hábitos, ajudar os pais e privilegiar o ambiente.

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



Desde 22 de setembro, aproveitando o mote da Semana Europeia da Mobilidade, que o município de Valongo, no distrito do Porto, tem em funcionamento o “BUS Pedestre”, constituído por grupos de crianças que fazem a pé o trajeto para a escola, acompanhados por encarregados de educação – denominados condutores – que se voluntariam para garantir o serviço.

A Lusa acompanhou hoje a viagem diária de 850 metros que o pai e também condutor Pedro Soares faz entre a esquadra da PSP de Ermesinde e a Escola Básica/Jardim de Infância da Gandra, conduzindo o filho André e ainda o Rodrigo, a Mariana e o Isaías.

Numa escola com 200 alunos, segundo Pedro Soares, “há, ainda, todo um trabalho de mais informação e partilha do sucesso” que o serviço está a ter que tem de ser feito “para que os outros pais “ganhem confiança para entregar os seus filhos a pais estranhos”.

“Acredito que com a chegada da primavera irão aparecer mais miúdos no ‘BUS Pedestre’”, disse, acrescentando “haver capas para os dias em que estiver a chover”.

O serviço só funciona à “ida para a escola porque, uma vez que são alunos de diferentes anos, os horários de saída são diferentes, o que obrigaria a uma logística muito complicada”, explicou o condutor, que a cada chegada à escola, via ‘WhatsApp’, comunica aos pais a entrega dos filhos.

De colete, com a placa de sinalização – momentos antes tirada ao pai – na mão, o filho André mostrou ser de poucas palavras, mas confirmou ser agora “mais divertida” a ida para a escola na companhia dos colegas.

Pouco depois, já com três alunos reunidos no ponto de encontro – o quarto juntou-se mais adiante – e quase todos de colete refletor, o grupo cumpriu o percurso de 15 minutos à velocidade do diálogo animado entre eles, só à espera da travessia da última passadeira para soltar o grito antes da correria final: “o último a chegar é um ovo podre”.

A primeira escola a arrancar com o projeto, a EB1 da Gandra, tem três “linhas” ativas, tendo depois o projeto avançado em novembro na EB de Saibreiras e na EB da Costa, também em Ermesinde, e, já este ano, arrancou na EB de Ilha, em Valongo. A aguardar pela adesão dos pais estão as EB Nova, em Valongo, e a EB da Bela e Sampaio, em Ermesinde.

Joana Fitas, mãe da Leonor, também aluna do pré-escolar da EB da Gandra, falou à Lusa das dificuldades e méritos de um projeto que, nas escolas aderentes, abrange, para já, 11 alunos.

“Há uma certa dificuldade em que os pais aceitem, porque se criam rotinas e pode haver reservas da parte deles em entregar os filhos – eu própria as tive, também -, mas há vontade para esclarecer tudo e com um pouco de esforço irão perceber que há vantagens em os miúdos irem juntos para a escola”, contou.

Exemplo disso, acrescentou, são os relatos da filha: “ela gosta de ir com outros miúdos para a escola e isso permitiu-lhe não só estabelecer relação com eles como até brincarem juntos no recreio. Ou seja, fruto do conhecimento no ‘BUS Pedestre’ ela já não brinca apenas com os colegas do pré-escolar, mas também com os dos anos acima, os amigos com quem faz a caminhada. E isso é importante para o seu desenvolvimento”.

O “BUS Pedestre” é um dos 14 projetos que integra o Plano Municipal de Saúde de Valongo e a inscrição deve ser feita em https://saude.cm-valongo.pt/…/bus…/ficha-de-inscricao) ou pelo email [email protected]

À Lusa, o presidente da Câmara de Valongo, José Manuel Ribeiro, destacou a “sustentabilidade ambiental” da iniciativa, porque reduz o número de “carros a circular”, e assinalou também “a dimensão da promoção da saúde”, porque “ao estimular o hábito de caminhar combate-se o sedentarismo e a obesidade”.

“Tem ainda impacto ao nível das competências das crianças no que respeita à responsabilidade, ao convívio e ao relacionamento com os outros. O ‘BUS Pedestre’ está a dar os primeiros passos, mas o balanço é positivo. Estamos convencidos que nos próximos meses a adesão vai crescer e que a opção de ir a pé para a escola será cada vez mais utilizada”, acrescentou.

Sem comentários

deixar um comentário