14 Maio 2022, 17:21

Cada país da CPLP deve ser uma plataforma giratória para os demais — Angola

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Luanda, 29 abr 2022 (Lusa) — O ministro da Economia e Planeamento angolano afirmou hoje que os países da CPLP, que não são fronteiriços, têm de promover a cooperação económica de forma diferente, fazendo de cada país uma plataforma giratória para os demais.


Mário Caetano João, falava à margem da I reunião conjunta de ministros da Economia, Comércio e Finanças da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em representação do Governo de Angola, que assegura atualmente a presidência rotativa da organização lusófona.


Os ministros vão centrar hoje o debate no tema “Cooperação Económica na CPLP: prioridades e desafios” e deverão aprovar uma Agenda Estratégica para a Cooperação Económica na CPLP no quinquénio 2022-2027.


O ministro sublinhou que Angola “quis dar mais força ao tema da cooperação económica”, assente no empresariado local, tendo em consideração que a CPLP é diferente das outras comunidades regionais, pois os países que a integram não têm fronteiras entre si.


“Temos de ter uma geometria variável para ver como é que essa cooperação económica vai acontecer e este é o tema da nossa reunião, em que vamos propor uma agenda estratégica”, afirmou.


“Como os países não são fronteiriços têm de procurar tirar vantagens de forma diferente e fazer com que cada país possa servir de plataforma giratória para os demais países da CPLP”, sugeriu.


O governante referiu que “Angola, por exemplo, ao querer expandir para a África Ocidental, pode contar com uma plataforma giratória através da Guiné-Bissau e vice-versa, ou pode também chegar a Portugal, Brasil”, entre outros.


“No fundo trata-se de encontrar mecanismos para uma cooperação económica sólida e mutuamente vantajosa”, acrescentou.


 A agenda estratégica estará assente em vários eixos, desde a promoção do comércio externo dos países da CPLP, maior atração de investimento direto estrangeiro, instrumentos de financiamento, capacitação, entre outras iniciativas, avançou.


 Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste são os nove Estados-membros da CPLP.



RCR // LFS


Lusa/fim

Tags

Sem comentários

deixar um comentário