08 Setembro 2022, 22:25

Câmara da Maia investe 680 mil euros em novo troço do Ecocaminho

mundoatual AdministratorKeymaster

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

A câmara da Maia vai investir cerca de 680 mil euros no novo troço do Ecocaminho que atravessa o concelho e que tem por objetivo “criar um espaço canal destinado à mobilidade suave quotidiana”, anunciou hoje a autarquia.

Em comunicado enviado à Lusa, a Câmara Municipal da Maia, refere que aquele novo troço vai ter a extensão de 1,2 quilómetros e deve estar concluído em finais do mês de setembro.

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



Com um investimento estimado de 680 mil euros, comparticipados em 85% por fundos comunitários, vai ligar a estação de Mandim à Via Eng. Belmiro Mendes de Azevedo.

A autarquia explica que o Ecocaminho “corresponde a um troço da antiga linha ferroviária que ligava a cidade do Porto a Guimarães, estando integrado num percurso mais abrangente”, sendo que “até à data, tem cerca de 3,3 quilómetros desde o Lugar do Souto, junto à Quinta dos Cónegos, na freguesia da Cidade da Maia, ao antigo apeadeiro de Mandim, na freguesia do Castêlo da Maia”.

O Ecocaminho, refere o texto, integra uma das intervenções previstas no Plano de Ação de Mobilidade Urbana Sustentável (PAMUS) do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU).

“O projeto visa criar um espaço canal destinado à mobilidade suave quotidiana, de ligação entre polos empregadores, efetuando a ligação entre interfaces de transporte público coletivo de elevada utilização, promovendo a intermodalidade, entre os modos de transporte coletivo público ferroviário ligeiro e rodoviário de passageiros com o modo pedonal e ciclável”, lê-se.

Segundo o texto, “pretende-se uma adequabilidade do percurso às ligações diretas a interfaces de transportes promovendo a intermodalidade, dado o facto de a bicicleta poder ser transportada em transporte publico, o metro”.

Ao longo do percurso são oferecidas distintas paisagens, onde prevalecem área arborizada, confrontações com logradouro de hortas, a antiga estação ferroviária da Maia e áreas de cultivo.

Sem comentários

deixar um comentário