08 Dezembro 2021, 16:03

Câmara da Trofa com 5ME para investir em habitação municipal

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

A Câmara da Trofa assegurou cinco milhões de euros para a requalificação do parque habitacional municipal integrado na Estratégia Local de Habitação.

Em comunicado, a autarquia informou que a verba será para “requalificar os empreendimentos habitacionais municipais nas freguesias de S. Martinho de Bougado e S. Romão do Coronado, e para a aquisição e reabilitação de quase quatro dezenas de habitações” destinadas “a famílias de baixos recursos”.

O documento ratificado pelo presidente da Câmara, Sérgio Humberto, e pela presidente do Instituto de Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU), Isabel Dias, foi homologado pela secretária de Estado da Habitação, Marina Gonçalves, numa cerimónia na Trofa.

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



O autarca explicou que a “Estratégia Local de Habitação levada a cabo incluiu “o diagnóstico das necessidades habitacionais do território, com o objetivo de mobilizar financiamento público para os resolver, beneficiando famílias de baixos recursos”.

Fruto do acordo assinado, na primeira fase “será possível investir cerca de cinco milhões de euros na requalificação de todo o parque habitacional municipal, no que diz respeito à qualidade das habitações e à eficiência energética, bem como a aquisição e requalificação de mais 36 habitações, garantindo habitação condigna a quase 200 agregados familiares”.

Sérgio Humberto manifestou ainda a intenção de, no futuro, “efetuar adendas ao presente contrato, para assegurar mais investimento nesta área, a fim de dar resposta às solicitações de apoios à habitação que subsistem”.

“Sendo um território geograficamente privilegiado, onde o desemprego é baixo e onde há mercado de trabalho disponível, a tendência é haver um consequente aumento populacional que tem de ter a devida resposta habitacional, proporcionando a fixação dos jovens e menos jovens que encontram na Trofa o que procuram para as suas famílias: qualidade de vida, desenvolvimento económico e boas infraestruturas”, acrescentou.

Integrado na nova Geração de Políticas de Habitação (NGPH), o programa 1.º Direito, que visa a promoção de soluções habitacionais para as famílias mais carenciadas e sem alternativa habitacional, prevê um investimento total de 700 milhões de euros até 2024, destinado a comparticipações não reembolsáveis.

Sem comentários

deixar um comentário