18 Outubro 2021, 07:53

Câmara do Porto lança novo site «Cultura em Expansão» com espetáculos online

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

O programa municipal Cultura em Expansão, promovido pela Câmara do Porto, tem a partir de hoje um novo website que servirá de plataforma de difusão da programação, espetáculos online e de acervo de informação sobre edições anteriores.

Com uma nova expressão o novo website vai disponibilizar uma série de propostas dirigidas a diferentes públicos, apresentando três espetáculos inicialmente programados para o ano de 2020, mas que não se realizaram como consequência das restrições causadas pela pandemia, refere a autarquia em comunicado.

Esta nova secção programática tem início com «Uma Coisa Longínqua», criação do Teatro de Ferro, e a peça de teatro infantil «Princesa Bruxa», escrita e encenada por Ricardo Alves e coreografada por Mariana Amorim, que poderão ser visualizadas a partir de hoje até aos dias 20 e 11 de abril, respetivamente.

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



Para a semana, a partir de terça-feira, 13 de abril, ficarão disponíveis os espetáculos «Cortes do Porto», que resultou da residência do encenador Rui Catalão com moradores de Campanhã, e «And so…? The end!», um solo de dança contemporânea da coreógrafa, bailarina e intérprete Mariana Tengner de Barros, que ficará online até 20 de abril.

«Memoratório… do usado e preservado Grupo Musical de Miragaia», projeto em torno da história do quase centenário Grupo Musical de Miragaia, desenvolvido pela Confederação, coletivo de investigação teatral em parceria com Tânia Dinis, será apresentado em três momentos, a 21 e 28 de abril e a 5 de maio.

Criado em 2014 pela Câmara Municipal do Porto, o Cultura em Expansão é um programa anual de promoção cultural e artística na cidade, que se materializa num vasto número de atividades, de acesso gratuito, nas áreas da música, teatro, cinema, dança e ‘performance’.

Construída em conjunto com as estruturas parceiras Visões Úteis, Confederação, Teatro do Frio e Sonoscopia, para cada um dos quatro territórios – Campanhã, Miragaia, Pasteleira e Bouça, respetivamente -, a programação para 2021 será apresentada em meados de maio, em data a anunciar em breve, caso as normas de segurança impostas pela Direção-Geral da Saúde (DGS) o permitam.

A edição de 2021 do Cultura em Expansão terá novamente o mecenato da Mota-Engil SGPS, Fundação Manuel António da Mota e Mota Gestão e Participações, SGPS, SA.

Autarquia autoriza reabertura de feiras com exceção da Vandoma e Cerco

Entretanto, o Município do Porto autorizou a reabertura de 26 feiras e mercados municipais não alimentares, por considerar reunidas as condições de segurança, decisão que não se aplica às Feira da Vandoma e do Cerco, que se mantém encerradas.

A Câmara refere que a medida, com efeitos imediatos, se integra na fase de desconfinamento que teve início na segunda-feira e que permite, por decisão municipal, a reabertura destas atividades, suspensas a 15 de janeiro, com a exceção da venda de produtos alimentares.

No despacho assinado pelo independente Rui Moreira na terça-feira, o Município considera estarem reunidas as condições de segurança para a abertura de um conjunto de feiras, suportadas na análise dos critérios epidemiológicos, “estando, assim, salvaguardadas as medidas impostas pela Direção-Geral da Saúde”.

As feiras que podem reabrir são as Feiras Municipais de Antiguidades e Velharias, dos Passarinhos, da Numismática, Filatelia e Colecionismo, da Pasteleira, do Artesanato da Batalha e o Mercado de Artesanato do Porto, o Mercadinho da Ribeira, o Mercado da Ribeira, o Mercado de Levante do Covelo e a Feira de Produtos Biológicos do Parque da Cidade.

A estas se juntam as feiras promovidas por privados, designadamente o Flea Market, Urban Market, Market Place, Mercado da Alegria, Mercado de S. Bartolomeu, Mercado de S. Miguel, Mercado da Terra, Mercado do Molhe, Sensations Market, Pink Market, Mercado das Marcas, Mercado da Serafina, Mercado Porto Belo, Mercadinho dos Clérigos e Família Desce à Rua, informa o despacho do presidente Rui Moreira.

Há duas exceções: a Feira da Vandoma, pela sua especificidade, dimensão e afluência de visitantes; e a Feira do Cerco, por estar integrada em zona residencial de grande aglomeração populacional, permanecem encerradas depois do parecer técnico negativo da Polícia Municipal, Fiscalização e Proteção Civil, indica a Câmara.

 

 

 

 

Sem comentários

deixar um comentário