24 Janeiro 2022, 11:51

Câmara investe em nova sede da Águas de Gaia

© AMÂNDIA QUEIRÓS | MUNDO ATUAL
Susana Faria AdministratorKeymaster

A Câmara de Gaia anunciou hoje, durante a última reunião de Executivo do ano, que a empresa Municipal Águas de Gaia terá uma nova sede, que contemplará todos os serviços num só espaço, num investimento orçado em 11 milhões de euros.

O projeto para a construção do novo edifício da Águas de Gaia já está concluído e o objetivo passa por reunir, num só espaço, todos os serviços, de forma que  estes deixem de ser prestados “num rés-do-chão de um prédio”, como revelou o presidente da autarquia.

“O lugar é o mesmo. Basicamente, é um edifício novo, uma vez que o atual tem de ser reabilitado e ampliado. Será uma infraestrutura espetacular, que incluí um parque de estacionamento”, explicou Eduardo Vítor Rodrigues aos jornalistas, após a reunião camarária.

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



Trata-se de investimento muito importante para o Município, “porque vai permitir aglutinar, até do ponto de vista de economia de meios, num só espaço aquilo que estava distribuído por vários edifícios. Queremos centralizar todos os serviços”, frisou.

“Se tudo correr bem, as obras orçadas em 11 milhões de euros, muito provavelmente, poderão começar no final de 2022”, referiu o presidente, salientando que esta é uma empreitada “muito necessária”, uma vez que o edifício velho “está com vários problemas”.

Tarifa da água e saneamento sem aumentos

O executivo aprovou ainda, por unanimidade, a proposta que visa a manutenção, sem aumentos para 2022, das tarifas para os serviços de abastecimento de água e saneamento.

Apesar da evolução de preços decorrentes da inflação, a Câmara de Gaia optou por manter os preços atuais, gastando, assim, com a evolução dos consumos, cerca de 1 milhão de euros.

O presidente lembrou que se trata da aprovação “de uma tarifa de aumento zero, quando temos vários aumentos e taxas nos tratamentos de resíduos”.

“O que estamos a fazer é internalizar. Não aumentando o preço ao consumidor, é a Câmara que tem de o pagar. Temos que repor o dinheiro à empresa Águas de Gaia”, concluiu.

Sem comentários

deixar um comentário