24 Setembro 2021, 15:49

Cancela Moura é o candidato do PSD à Câmara de Gaia

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

O presidente do PSD de Gaia, Cancela Moura, é o candidato da coligação PSD/CDS-PP/PPM à Câmara nas próximas eleições autárquicas, em substituição do ex-selecionador nacional António Oliveira, que desistiu da corrida eleitoral.

O nome de Cancela Moura, que acusou António Oliveira de “falta de caráter” aquando da sua desistência, foi aprovado hoje pela Comissão Política Distrital do PSD do Porto e homologado pela Direção Nacional do PSD.

“Só alguém com enorme nobreza de caráter, muita coragem e um elevado sentido de missão aceitaria, nas atuais circunstâncias, o desafio de ser candidato. Só alguém com tão grande sentido de responsabilidade poderia sacrificar-se para, em nome dos gaienses, da sua terra e da causa pública, aceitar este desafio”, referiu o PSD do Porto, em comunicado.

Para além de uma “prestação cívica de grande resiliência”, Cancela Moura, que é vereador da oposição na Câmara de Gaia liderada pelo socialista Eduardo Vítor Rodrigues, é apresentado como “homem de causas e profundo conhecedor do concelho, um exemplo de proximidade com as instituições e com as pessoas, com provas de trabalho dadas e com reconhecida competência”, sublinhou o partido.

“As circunstâncias em que Cancela Moura é designado como candidato determinaram que, num momento tão difícil – estas serão provavelmente as eleições mais difíceis de toda a nossa democracia – deitássemos mão de um ativo de qualidade, orientado por valores éticos inequívocos e que é também uma reserva moral do partido, para protagonizar uma candidatura à altura da responsabilidade de construir, com os gaienses, um projeto político alternativo à atual maioria municipal”, vincou o PSD do Porto.

Cancela Moura, de 57 anos, é deputado à Assembleia da República, eleito pelo Círculo do Porto, desde outubro de 2019.

Líder do PSD de Gaia desde 2005, função que já havia ocupado entre 2000 e 2002, o social-democrata foi candidato à presidência da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, liderando a coligação “Gaia de Novo” do PPD/PSD e o CDS-PP, nas eleições autárquicas de outubro de 2017.

António Oliveira anunciou, a 18 de junho, ter desistido “por uma questão de higiene” da corrida às eleições autárquicas, recusando pôr os “interesses de uns personagens” à frente dos interesses da população, revelou em carta aberta e a que a Lusa teve acesso.

Na missiva, o ex-selecionador nacional de futebol teceu duras críticas à concelhia liderada por Cancela Moura, assumindo que nunca pensou que a política e os partidos, “quando se deixam apropriar por alguns, ainda que localmente, pudessem descer a um nível tão baixo e tão miserável”.

Três dias depois, numa conferência de imprensa para reagir à decisão de António Oliveira, o presidente do PSD/Porto disse que a escolha de António Oliveira para encabeçar a candidatura à Câmara de Gaia foi “um erro de ‘casting’”, pelo que encarou a sua desistência com “algum alívio”.

Presente na mesma conferência de imprensa, o presidente do PSD de Vila Nova de Gaia acusou o ex-selecionador nacional de “falta de caráter”, admitindo que esta situação “tem consequências para o PSD”.

O nome do ex-selecionador nacional foi aprovado na reunião da Comissão Política Distrital Alargada do PSD, que decorreu em 22 de março em Seroa, em Paços de Ferreira, e anunciado publicamente no dia seguinte pelo presidente do PSD, Rui Rio.

Aquando do anúncio, Rui Rio disse que António Oliveira tinha o “perfil adequado” para liderar a Câmara de Gaia.

Sem comentários

deixar um comentário