26 Outubro 2021, 13:46

Centenas de adolescentes raptadas na Nigéria foram libertadas – governador

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Gusau, Nigéria, 02 mar 2021 (Lusa) – Centenas de adolescentes raptadas na sexta-feira de uma escola em Jangebe, no noroeste da Nigéria, foram hoje libertadas, encontrando-se agora em instalações do Governo do estado de Zamfara, disse o governador.


“Fico feliz por poder anunciar que as jovens foram libertadas (…) e estão de boa saúde”, disse o governador daquele estado, Bello Matawalle, em declarações à agência de notícias France-Presse (AFP).


“O número total de jovens raptadas da escola é de 279, e estão todas connosco”, acrescentou o governador à AFP, que confirmou no local a presença de centenas de jovens vestidas com ‘hijab’ azul celeste.


As autoridades tinham inicialmente afirmado que havia 317 jovens sequestradas da Escola Secundária de Ciências do Governo na cidade de Jangebe, no estado de Zamfara, depois de homens armados atacarem o centro.


Trata-se do quarto ataque a escolas em menos de três meses no nordeste da Nigéria, onde grupos criminosos multiplicam raptos para obterem resgates.


De acordo com a AFP, as autoridades de Zamfara discutem habitualmente com os criminosos, com os quais negoceiam há mais de um ano acordos de amnistia, em troca da deposição de armas.


Em dezembro último, foram os responsáveis daquele estado que negociaram a libertação de 344 alunos raptados numa escola em Kankara, no estado vizinho de Katsina, cuja autoria foi reclamada pelo grupo extremista islâmico Boko Haram, que até então se limitava a atacar o noroeste do país, embora as autoridades os culpassem.


A cada libertação, as autoridades negam ter pagado resgate, o que é posto em causa por especialistas de segurança, que temem que o pagamento leve a mais raptos na região, minada pela pobreza.


O incidente em Zamfara ocorreu nove dias depois do sequestro, levado a cabo por homens armados, de 28 estudantes e vários professores da Escola de Ciências do Governo em Kagara, no estado de Níger.


No sábado, a União Europeia (EU) tinha pedido a libertação “imediata e incondicional” das alunas, salientando que os menores não devem “sofrer as consequências dos conflitos”.


“A UE pede a libertação imediata e incondicional de todos os reféns, incluindo os alunos de Kankara raptados há mais de uma semana e as centenas de raparigas sequestradas na sua escola em Jangebe, estado de Zamfara”, declarou então o Alto Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e Política de Segurança, Josep Borrel.


O Alto-comissário sublinhou que o “recente aumento de sequestros e ataques maciços no noroeste e centro da Nigéria causa medo e prejudica os mais vulneráveis da população, as crianças e mulheres”.


“O desaparecimento de alunos e os ataques contra as escolas converteram-se na marca registada dos bandidos, grupos criminais e grupos armados não estatais que operam na região”, afirmou o ex-ministro espanhol.


Josep Borrel acrescentou que os grupos “atacam de forma indiscriminada os jovens, os inocentes e os vulneráveis por meio de sequestro, para obter resgates, assassínio e roubos impulsionados por motivos financeiros, e pelo desejo de semear o medo”.



PTA (CP/SPYC) // JMC


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário