08 Dezembro 2022, 16:39

Cerimónias arrancam com 96 badaladas e lotação esgotada para ver cortejo de Isabel II

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



As cerimónias fúnebres da rainha Isabel II arrancaram hoje pouco depois das 09:00 com o sino da Abadia de Westminster a iniciar uma série de 96 badaladas, os mesmo anos com que morreu a monarca, no dia 08 de setembro.

Por volta da mesma hora, as autoridades de Londres informaram que todos os pontos com acesso ao público para ver o cortejo fúnebre, que vai passar por algumas ruas de Londres, estavam já lotados, sem possibilidade de entrarem mais pessoas.

As autoridades instalaram também cinco ecrãs gigantes no Hyde Park, um dos maiores parques de Londres, onde estão a ser transmitidas as cerimónias e onde há horas se concentram já também milhares de pessoas.

A urna com o corpo da rainha Isabel II de Inglaterra, que reinou durante 70 anos, esteve nos últimos dias em câmara ardente no palácio de Westminster, o edifício do parlamento inglês, e vai ser levada por volta das 10:45 para a Abadia de Westminster, onde começará o funeral de Estado, às 11:00.

Os cerca de 2.000 convidados para o funeral, entre chefes de Estado e de Governo, membros de famílias reais e outras personalidades, começaram a chegar à Abadia de Westminster por volta das 8:00, levados, na sua maioria, em “transportes coletivos”, segundo as autoridades britânicas.

Este é o primeiro funeral de Estado no Reino Unido desde o do primeiro-ministro Winston Churchill, em 1965, e é a maior operação de segurança que jamais houve em Londres, com a maior reunião de líderes internacionais em décadas e a afluência de multidões à cidade, num dia que foi decretado feriado nacional.

Após o funeral, haverá um cortejo fúnebre por várias ruas de Londres, com passagem pelo Palácio de Buckingham, antes de a urna ser levada para Windsor, onde Isabel II será sepultada.

Sem comentários

deixar um comentário