05 Dezembro 2021, 22:39

Chefe da Casa de Segurança do Presidente angolano admite preocupação com criminalidade

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Luanda, 15 out 2021 (Lusa) – O ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança do Presidente da República de Angola disse hoje, em Luanda, que a segurança nacional “vai bem”, mas admitiu preocupação com os níveis de criminalidade que o país regista.


Francisco Furtado reagia, em declarações à agência Lusa, ao discurso sobre o Estado da Nação efetuado hoje pelo Presidente angolano, João Lourenço, na cerimónia de abertura do novo ano legislativo, que considerou uma “abordagem exaustiva” sobre a real situação do país.


“De facto devemos todos estar imbuídos no sentido daquilo que foi a intervenção do Presidente da República. Deve até constituir matéria de estudo para todos nós, para podermos executar com brio e determinação as nossas tarefas”, disse.


Relativamente à segurança nacional, Francisco Furtado destacou que o Governo está a trabalhar no sentido de melhorar cada vez mais este aspeto, sublinhando que “a segurança é um fator determinante para que de facto o país esteja no rumo certo”.


“E como bem referiu o Presidente da República na sua mensagem, as forças de defesa e segurança têm realmente cumprido bem o seu papel e vamos continuar a envidar esforços para que as coisas melhorem, para que tenhamos um país seguro, cada vez melhor e garante da integridade e da soberania nacional”, frisou.


Entretanto, considerou que é “de certa forma preocupante” a situação da criminalidade no país, situação para a qual algumas medidas estão em curso.


“Vamos reforçá-las, vamos tomar outras, para que de facto o país esteja em segurança, porque o que tem estado a acontecer não tem que constituir razão para nós baixarmos a guarda. Temos cada vez mais que reforçar essa segurança e penso que os mentores desses atos têm os dias contados”, garantiu. 



NME // JH


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário