19 Janeiro 2022, 19:23

Chefe militar da Índia entre 13 mortos em acidente de helicóptero

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Nova Deli, 08 dez 2021 (Lusa) — A Força Aérea da Índia confirmou hoje a morte do chefe militar do país, general Bipin Rawat, da mulher e de outras 11 pessoas num acidente de helicóptero no sul do país, ao qual diz ter sobrevivido um oficial.


Num ‘tweet’, a Força Aérea informa que o helicóptero “sofreu um trágico acidente” e que o capitão do grupo, Varun Singh, sobreviveu ao acidente e está a receber tratamento num hospital militar.


A emissora pública do país Prasar Bharati divulgou que o helicóptero Mi-17V5 estava a caminho de uma base da força aérea para serviços de defesa do exército quando se despenhou perto da cidade de Coonoor, uma estação montanhosa em Tamil Nadu.


O motivo do acidente não é ainda conhecido.


O acidente ocorreu numa área arborizada e, segundo fontes militares que pediram anonimato, citadas pela ANI, duas pessoas terão sido levadas para o hospital com queimaduras.


A televisão NDTV de Nova Deli mostrou imagens da área do acidente, de restos carbonizados da aeronave e pessoas em redor do local do acidente a tentar apagar o fogo.


Rawat assumiu o cargo em dezembro de 2016, no meio de uma onda de tensão com o vizinho Paquistão, após uma ação de insurgentes paquistaneses que matou 19 soldados indianos, a que Nova Deli respondeu com ataques “cirúrgicos” na fronteira e com uma campanha diplomática contra Islamabad. 


Os acidentes com aeronaves militares são frequentes na Índia.


Em 2019, um piloto militar indiano foi morto e outros dois ficaram feridos após uma colisão entre o avião de acrobacias que pilotavam e outra aeronave durante exercícios na cidade de Bangalore, no sul da Índia.


Em outubro de 2017 pelo menos cinco membros da Força Aérea Indiana morreram após um helicóptero ‘M-17’ ter-se despenhado em Arunachal Pradesh, no nordeste. 


Em dezembro de 2015, 10 membros do corpo de fronteira morreram em um acidente de aviação em Nova Deli.


 


VP (JSD) // JNM


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário