20 Setembro 2021, 07:31

Chuva intensa causa inundações em ruas, empresas e estabelecimentos de Ovar

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

As chuvas intensas que se registaram esta tarde em Ovar causaram inundações em várias ruas, estabelecimentos comerciais e empresas, revelou hoje fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Aveiro.

“Os bombeiros estão a trabalhar na Avenida 16 de Maio e na Rua José Macedo Fragateiro”, referiu como exemplo essa autoridade da Proteção Civil, ao que o comando dos Bombeiros Voluntários de Ovar acrescentou ainda outros casos na zona industrial da cidade e em artérias como a Avenida do Brasil, a Rua Conselheiro Arala Chaves e a Rua Júlio Dinis.

Na zona da Ponte Nova também há artérias mais pequenas afetadas, sendo que, na generalidade dos casos, os problemas se prendem com “ruas alagadas devido a um grande acumular de água”, do que vêm resultando inundações de maior ou menor dimensão em diferentes tipologias de edifícios.

“Temos algumas ruas completamente interditadas ao trânsito e outras ficaram com limitações de circulação porque têm lençóis de 10 centímetros de água e isso é suficiente para causar acidentes com relativa gravidade”, explica o comandante João Mesquita.

Esse excesso de água tem escoado para espaços interiores, entre os quais o edifício com mais problemas será o «cash and carry» Malaquias, que a meio da tarde fechou portas ao público depois de a chuva ter causado um rombo no telhado dessa grande superfície de revenda e danificado o respetivo sistema informático.

“Mas não há ninguém em perigo”, garante João Mesquita, realçando que os bombeiros estão desde as 17h00 a proceder ao “reencaminhamento das águas e à verificação de sarjetas”, para assegurar a devida desobstrução.

O comandante deixa, contudo, um alerta: “É muito importante nesta altura do ano que as pessoas garantam a limpeza de algerozes, sarjetas e outras estruturas de escoamento, e também que estejam atentas aos avisos meteorológicos, para saberem com o que contar e poderem agir com a devida cautela”.

Sem comentários

deixar um comentário