08 Dezembro 2021, 09:51

Coronavírus: Táxis do Porto transportam munícipes a centros de vacinação por até 4 euros

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

©DR

______

Os munícipes do Porto que queiram utilizar o serviço de transporte acordado entre a autarquia e duas centrais de táxi para deslocação aos centros de vacinação contra a covid-19 pagam até quatro euros, anunciou hoje a Câmara.

Em comunicado, a Câmara do Porto refere que o serviço de transporte, disponível a partir de hoje, assegura ao munícipe “o trajeto de ida” por dois euros, enquanto a viagem de ida e volta custa quatro euros, sendo que inclui “o acompanhamento de um familiar ou pessoa amiga”.

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



“Tendo em conta que o custo médio de uma deslocação de táxi é superior a um bilhete ocasional adquirido a bordo de um autocarro, cujo preço atual é de, precisamente, dois euros, esta fórmula permite efetivamente garantir uma solução de mobilidade rápida, cómoda e económica”, acrescenta a Câmara do Porto.

A autarquia refere ainda que, por cada deslocação, suportará o custo do transporte até ao valor máximo de seis euros.

Em reunião do executivo, na segunda-feira, a vereadora dos Transportes, Cristina Pimentel, tinha já referido que todos os munícipes que forem convocados no âmbito do plano de vacinação contra a covid-19 vão poder usufruir de um programa de transporte em colaboração com as centrais de táxis.

A responsável adiantou ainda que o programa, inicialmente pensado para apoiar o transporte de idosos aos centros de vacinação, foi alargado a todos aqueles que são convocados, “sem qualquer limitação”.

A Câmara do Porto alega ainda que este serviço público em táxi “tem a vantagem de chegar a zonas não abrangidas pela rede de metro, autocarro ou comboio”, e pode ser solicitado através do número 939955263.

O acordo foi estabelecido entre a Câmara do Porto e Raditáxis e Táxis Invicta, “as duas únicas centrais de táxi da cidade que representam, em conjunto, 691 das 699 licenças de táxi atribuídas no Porto”.

Segundo o acordo, para a autarquia, o setor do táxi “cumpre uma função essencial de complemento ao transporte público pesado de passageiros” e, “fruto da pandemia”, “sofreu uma quebra considerável na procura, existindo, por vezes, uma falsa perceção de escassez de condições de segurança necessárias face ao contexto epidemiológico existente”.

Com este acordo, a Câmara do Porto está também a “dinamizar o setor do transporte em táxi, aumentando a sua atratividade”, conclui o município.

Sem comentários

deixar um comentário