13 Maio 2022, 15:06

Costa refere que nem sempre a redução da carga fiscal baixa o preço

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Porto, 07 mai 2022 (Lusa) — O primeiro-ministro, António Costa, explicou hoje que, para o consumidor, nem sempre a redução da carga fiscal compensa o aumento do preço combustível no mercado internacional.


“Ao contrário do que muitas pessoas pensavam e disseram, o preço [dos combustíveis] não é só determinado pela tributação, o preço é, desde logo, determinado pelo valor da gasolina e do gasóleo no mercado internacional, o preço no mercado internacional não depende do controle do governo”, disse António Costa, no Porto.


À entrada para a Conferência sobre o Futuro da Europa, na Fundação de Serralves, Costa sublinhou que o Governo tem feito “exatamente” aquilo que anunciou que ia fazer, reduzir a carga fiscal sobre os combustíveis.


Na quinta-feira, o Governo determinou uma redução adicional do ISP de dois cêntimos na gasolina e de 1,2 cêntimos no gasóleo a partir da próxima segunda-feira, que irá refletir-se num alívio da carga fiscal, informaram as Finanças.


“O Governo determinou uma redução adicional do ISP de 1,2 cêntimos por litro de gasóleo e de dois cêntimos por litro de gasolina, a partir da próxima segunda-feira, dia 09 de maio.


Considerando o efeito conjunto da tributação em sede de IVA e ISP, a decisão reflete-se num alívio da carga fiscal de 1,5 cêntimos por litro de gasóleo e 2,5 cêntimos por litro de gasolina”, referiu o Ministério das Finanças, em comunicado.



SVF (AAT) // CC


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário