19 Setembro 2021, 02:04

Covid-19: Açores com mais de mil pessoas vacinadas em São Jorge e operação no Pico na sexta-feira

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

São Jorge, Açores, 15 jun 2021 (Lusa) — Mais de mil pessoas receberam a primeira dose da vacina contra a covid-19 em São Jorge, no âmbito da vacinação em massa que começou na segunda-feira naquela ilha dos Açores e arranca na sexta-feira no Pico.


Em comunicado divulgado hoje, a Secretaria Regional da Saúde destaca que a adesão à vacina no concelho de Velas, na ilha de São Jorge, “superou a expetativa, com um total de 1.060 pessoas inoculadas” com a primeira dose desde segunda-feira e a perspetiva de mais 800 pessoas vacinadas na quarta-feira.


Citado na nota, o Diretor Regional da Saúde, Berto Cabral, que hoje visitou a “Operação Periferia” em Velas, diz esperar um “resultado semelhante” no concelho da Calheta, também em São Jorge e confirma o início do processo na ilha do Pico na sexta-feira, com a perspetiva de pelo menos 2.700 inoculações.


“A operação de vacinação em massa contra a covid-19 na ilha do Pico, arranca na sexta-feira pelas 08:30, no Centro de Saúde das Lajes, onde constam cerca de 700 utentes na lista da população a vacinar no concelho”, lê-se na nota.


No sábado, “será a vez do concelho da Madalena, com cerca de 1.000 utentes a vacinar, a partir das 08:30, no Centro de Saúde local”.


No domingo, “a Operação Periferia chega a São Roque, com a previsão de 1.000 utentes a vacinar, também a partir das 08:30, no Centro de Saúde”.


De acordo com o Diretor Regional da Saúde, os números agora avançados para os três concelhos do Pico “podem sofrer alteração para mais, uma vez que nos próximos dias mais utentes vão aderir à vacinação”.


“O modelo a aplicar na ilha montanha é o mesmo que suportou esta Operação nas ilhas de Santa Maria, Flores, Graciosa e São Jorge”, é referido no comunicado.


Aos profissionais de Saúde locais a alocar pela Unidade de Saúde de Ilha do Pico, “juntam-se tês enfermeiros designados pela respetiva Ordem e a equipa militar que está nos Açores desde o início desta Operação, em Santa Maria”, acrescenta Berto Cabral.


O presidente do Governo dos Açores admitiu na segunda-feira a possibilidade de a ‘task force’, que está a vacinar em massa a população das ilhas sem hospital, garantir também um reforço da vacinação contra a covid-19 em São Miguel, ilha onde existe unidade hospitalar.


“Ficou entendido que, consoante a velocidade com que a vacinação nestas ilhas avançasse, pudéssemos aproveitar a disponibilidade da ‘task force’ para também reforçar a equipa de vacinação em São Miguel que tem um expecto epidemiológico mais preocupante”, explicou o chefe do executivo açoriano, José Manuel Bolieiro, em declarações aos jornalistas, na cidade da Horta.


José Manuel Bolieiro lembrou que, por via da operação “Periferia”, que está a decorrer nas ilhas sem hospital (Santa Maria, Flores, Graciosa, São Jorge e Pico), as três ilhas com hospital (São Miguel, Terceira e Faial), já estão também a ser alvo de um reforço na vacinação, através das equipas do Serviço Regional de Saúde.


A Autoridade de Saúde Regional divulgou hoje que, desde 31 de dezembro de 2020 e até 04 de junho, “foram administradas nos Açores 170.906 doses de vacina contra a covid-19, correspondentes a 101.900 pessoas com 16 ou mais anos com a primeira dose, e 69.006 pessoas com ambas as doses”, no âmbito do Plano Regional de Vacinação.


Ainda segundo a Autoridade de Saúde Regional, os Açores registaram, nas últimas 24 horas, 22 novos casos de covid-19, 13 dos quais em São Miguel, oito na Terceira e um no Faial.


O arquipélago conta atualmente com 320 casos ativos de covid-19, sendo 308 em São Miguel, 10 na Terceira e dois no Faial.


Desde o início da pandemia foram diagnosticados nos Açores 5.964 casos de covid-19, tendo recuperado da doença 5.477 pessoas e falecido 33.


A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 3.813.994 mortos no mundo, resultantes de mais de 176,1 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.


Em Portugal, morreram 17.049 pessoas dos 859.045 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.


A doença é transmitida pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.



ACG (RF/APE) // VAM



Lusa/fim

Sem comentários

deixar um comentário