06 Dezembro 2021, 14:15

Covid-19: Alto-Comissariado da Guiné-Bissau volta a apelar a cumprimento das regras após visita de Marcelo

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Bissau, 19 mai 2021 (Lusa) – O Alto-Comissariado para a Covid-19 da Guiné-Bissau manifestou hoje preocupação com as aglomerações de pessoas registadas durante a visita do Presidente português, sem respeito pelas medidas de prevenção, e lembrou que o vírus ainda circula no país.


“Como podem imaginar é uma preocupação do Alto-Comissariado e deve ser e é preocupação do Governo e do Presidente da República”, afirmou Magda Robalo.


A responsável falava aos jornalistas após um encontro com o Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, acompanhada do ministro do Interior, Botche Candé.


“Estamos aqui para apelar à população guineense que se recorde que a covid-19 continua a ser uma preocupação, um problema de saúde pública na Guiné-Bissau, e que não podem sair à rua sem observar as medidas de distanciamento físico, sem utilizarmos máscaras e sem nos preocuparmos com a nossa saúde e a saúde dos nossos vizinhos e familiares”, alertou.


Magda Robalo salientou que apesar de a situação estar “relativamente calma em termos de novos casos” o vírus continua a circular.


“Quero aqui apelar a todos os guineenses que cumpram as medidas de prevenção, usem a máscara, desinfetem as mãos e pratiquem o distanciamento físico”, afirmou.


Durante a visita do Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, a Bissau, na segunda e na terça-feira, foram registadas várias aglomerações de pessoas, sem qualquer respeito pelas regras de prevenção da covid-19.


Enquanto Magda Robalo prestava declarações à imprensa na Presidência guineense mais uma vez centenas de pessoas estavam reunidas na Praça dos Heróis Nacionais, em frente ao Palácio da Presidência, sem qualquer respeito pelas regras de prevenção para receber o chefe de Estado de São Tomé e Príncipe, Evaristo Carvalho, que iniciou hoje uma visita oficial ao país.


A Guiné-Bissau registou na última semana cinco novos casos para um total acumulado de 3.746.


Na segunda-feira, segundo os últimos dados divulgados, foi registada mais uma vítima mortal devido à doença, aumentando o total acumulado para 68.


No âmbito do combate à pandemia, o Governo da Guiné-Bissau prolongou o estado de calamidade até 24 de maio.


A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.406.803 mortos no mundo, resultantes de mais de 164,1 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.


A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.



MSE // VM


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário