06 Setembro 2022, 14:28

Covid-19: Austrália diz que Djokovic não recebeu tratamento especial com isenção médica

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Sydney, Austrália, 05 jan 2022 (Lusa) – As autoridades australianas disseram hoje que não deram tratamento especial ao tenista mundial número um Novak Djokovic, que se recusou a revelar se tinha sido vacinado contra covid-19.


As autoridades concederam-lhe uma isenção médica para defender o seu título do Australian Open.


“Quero deixar absolutamente claro, como tem sido sempre o caso, que ninguém está ou irá receber tratamento especial por causa de quem são ou do que conseguiram profissionalmente”, disse hoje o ministro dos Desportos em exercício do governo regional vitoriano, Jaala Pulford, numa conferência de imprensa em Melbourne.


Pulford – aparecendo ao lado do chefe executivo da Tennis Australia Craig Tiley – admitiu que a decisão “é algo que causará desconforto a muitos” residentes de Melbourne, a cidade com mais dias sob estrito isolamento durante a pandemia, e o resto do país onde foram postas em prática medidas duras para enfrentar a pandemia.


Anteriormente, o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, e outros funcionários tinham declarado que todos os jogadores de ténis e membros da equipa que participavam no torneio deveriam ter a vacinação completa.


No entanto, as diretrizes do Governo preveem exceções temporárias à entrada no país para pessoas que tenham “uma condição médica grave”, não possam ser vacinadas porque contraíram covid-19 nos seis meses anteriores ou tiveram uma reação adversa ao medicamento, entre outras.


Stephen Parnis, antigo vice-presidente da Associação Médica Australiana, disse no Twitter na terça-feira que a isenção “envia uma terrível mensagem a milhões de pessoas que procuram reduzir o risco de covid-19 na Austrália para si próprios e para os outros. A vacinação é um sinal de respeito, Novak”.


O médico acrescentou que “não importa o quão bom jogador de ténis você é. Se ele se recusar a ser vacinado, não lhe deve ser permitida a entrada” no torneio, que tem lugar em Melbourne de 17 a 30 de janeiro.



MIM // MIM


Lusa/Fim

Tags

Sem comentários

deixar um comentário