19 Setembro 2021, 12:46

Covid-19: Banco Mundial apoia vacinação em Moçambique com quase 95 ME

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Washington, 03 jun 2021 (Lusa) — O Banco Mundial anunciou hoje que aprovou uma doação de 115 milhões de dólares (cerca de 94,4 milhões de euros) para apoio à vacinação contra a covid-19 em Moçambique.


Num comunicado, o Banco Mundial diz que aprovou hoje “uma doação no valor de 100 milhões de dólares da Associação Internacional de Desenvolvimento (IDA) e uma outra doação de 15 milhões de dólares do Global Financing Facility (GFF) para apoio aos esforços de Moçambique para expandir a sua atual campanha de vacinação contra a covid-19”.


Os fundos serão utilizados para adquirir, administrar e distribuir vacinas contra a covid-19, mas também para fortalecer a preparação e a capacidade do Sistema Nacional de Saúde, bem como para garantir a continuidade dos serviços essenciais de saúde, “especialmente para mulheres, crianças e adolescentes”, explica o Banco Mundial.


“Esta operação vai permitir a compra de, aproximadamente, sete milhões de doses de vacinas covid-19, a maior contribuição individual até agora para os esforços de vacinação em Moçambique. Isto irá assegurar a cobertura de aproximadamente 20 por cento da população elegível”, afirma na nota Miguel Angel San Joaquin Polo, economista sénior da área da saúde e líder da equipe de trabalho da operação.


“Outras áreas de apoio sob esta operação incluem campanhas de comunicação para gerar confiança, reduzir a hesitação às vacinas e melhorar o acesso as informações confiáveis”, diz, por seu lado, Courtney Price Ivins, especialista em saúde, e co-Líder da equipe no projeto, que acrescenta: “Também apoiaremos mecanismos de responsabilização e sistemas de vigilância para rastrear vacinas até aos seus pontos de distribuição.”


Citada na nota, Idah Z. Pswarayi-Riddihough, diretora do Banco Mundial para Moçambique, Madagáscar, Comores, Maurícias e Seychelles, afirma que “as dificuldades sociais e económicas enfrentadas por milhões de moçambicanos devido à pandemia são simplesmente demasiado grandes”.


“Apelo a todos os elegíveis para a vacina a tomá-la sempre que esta estiver disponível”, salienta ainda aquela responsável.


Para Pswarayi-Riddihough, “tendo em consideração a atual escassez de oferta do mercado, esta operação [do Banco Mundial] ajudará o país a obter acesso a vacinas em estreita interação com instituições internacionais, como a African Vaccine Acquisition Trust, a Covax [consórcio para a vacinação em países mais pobres], entre outras”.


O projeto financiará a aquisição de vacinas contra a covid-19 e suprimentos necessários para a entrega e distribuição de vacinas, incluindo diluentes, seringas e outros suprimentos médicos, adianta ainda o comunicado.


Além disso, apoiará a logística de vacinas, incluindo insumos da cadeia de frio, armazenamento e transporte, bem como a formação de profissionais de saúde comunitários na implementação da campanha de vacinação contra a doença, enquanto se promove a procura e o acesso a serviços essenciais de saúde. E ainda irá apoiar as principais instituições do sistema de vacinação de Moçambique.


“O Global Financing Facility [GFF] tem o prazer de fazer parceria com o Governo de Moçambique para apoiar a implementação integrada das vacinas covid-19, garantindo também o acesso a serviços de saúde essenciais,” disse Monique Vledder, chefe do Secretariado do GFF.


A responsável realçou ainda que “a liderança do governo em investir na saúde de mulheres, crianças e adolescentes, enquanto se constrói sistemas de saúde fortes, é fundamental para impulsionar a recuperação da covid-19.”


Esta operação está em linha com as prioridades do país, conforme descrito no Plano Nacional de Preparação e Resposta à covid-19 elaborado pelo Governo, bem como no Plano Nacional de Vacinação contra covid-19 e vem complementar outro apoio do Banco Mundial à resposta à pandemia em Moçambique, adianta o comunicado.


O Banco Mundial, uma das maiores fontes de financiamento para os países em desenvolvimento, está a tomar “medidas amplas e rápidas para ajudar os países em desenvolvimento a responder aos impactos sanitários, sociais e económicos da covid-19”, refere a nota.


Isto “inclui 12 mil milhões de dólares [cerca de 9,8 mil milhões de euros]” para ajudar os países de baixo e médio rendimento a comprar e distribuir vacinas, testes e tratamentos covid-19 e fortalecer os sistemas de vacinação.


O Grupo Banco Mundial está a ajudar mais de 100 países a fortalecer os sistemas de saúde, apoiar as famílias mais pobres e criar condições favoráveis para manter os meios de subsistência e empregos para os mais afetados, no âmbito da pandemia de covid-19, adianta.


A Associação Internacional de Desenvolvimento (AID), do Grupo Banco Mundial, criada em 1960, ajuda os países mais pobres do mundo disponibilizando doações e empréstimos com juros baixos ou sem taxas de juros para projetos e programas que impulsionam o crescimento económico, reduzem a pobreza e melhoram a vida das pessoas pobres.


O Fundo de Financiamento Global (GFF) é uma parceria múltipla sediada no Banco Mundial, que apoia os países com uma mortalidade materna e infantil elevada e necessidades financeiras mais altas do mundo.


A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.704.003 mortos no mundo, resultantes de mais de 172 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.


A doença é transmitida pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.



ATR // JH


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário