03 Julho 2022, 16:47

Covid-19: Bebé nos cuidados intensivos do Hospital São João, no Porto, mantém-se estável

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

O bebé de 13 meses com covid-19 internado nos cuidados intensivos do Hospital São João, no Porto, e que necessitou de Oxigenação por Membrana Extracorporal (ECMO), mantém-se “estável e a evoluir favoravelmente”, anunciou hoje o hospital.

No ponto da situação feito ao início da tarde pelo hospital, a situação do bebé é descrita como mantendo-se “estável e a evoluir favoravelmente”.

Na conferência de imprensa dada no sábado, a diretora clínica Maria João Baptista já havia dado conta desse quadro, explicando que a criança, após ter sido ligada à ventilação mecânica, “foi ficando estável”, estando a “equipa clínica a prestar todos os cuidados de que necessita”.

Ao início da tarde de sábado, fonte daquela unidade hospitalar disse à Lusa que a criança estava internada no Centro Materno Infantil do Norte por covid-19, mas teve que ser transferida para o Hospital de S. João por “alterações cardíacas”.

À tarde, a especialista revelou que o bebé deu entrada no hospital “com covid-19 e com um quadro clínico compatível com a existência de uma miocardite”.

Detalhando, Maria João Baptista explicou que o bebé “estava clinicamente muito doente, tinha arritmias cardíacas que foram muito difíceis de controlar (…), necessitou de ser ventilado mecanicamente e, apesar de todas as medidas que foram instituídas, entrou num choque cardiogénico, em que o coração deixa de ser capaz de assegurar a circulação do sangue pelo corpo e houve a necessidade de colocá-lo em ECMO”.

Tags

Sem comentários

deixar um comentário