18 Janeiro 2022, 02:05

Covid-19: Brasil anuncia identificação preliminar de dois casos da Ómicron

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

São Paulo, 30 nov 2021 (Lusa) — A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão de vigilância sanitária do Brasil, anunciou hoje a identificação preliminar de dois resultados positivos no país da estirpe Ómicron do vírus SARS-CoV-2, causador da covid-19.


“A Anvisa informa que serão enviadas para análise laboratorial confirmatória as amostras de dois brasileiros que, preliminarmente, apresentaram resultado laboratorial positivo para a variante [estirpe] Ómicron do Sars-Cov-2, após testagem realizada pelo laboratório Albert Einstein”, disse a Anvisa, num comunicado.


Segundo aquele organismo, “tal testagem deve-se ao facto de que um passageiro vindo da África do Sul e que desembarcou em Guarulhos no dia 23/11, portando resultado de RT-PCR negativo, com vistas a preparar-se para a viagem de regresso à África do Sul, procurou o laboratório localizado no aeroporto de Guarulhos, no dia 25/11, para, já na companhia de sua esposa, realizar o teste de RT-PCR requerido para o regresso”.


“Naquele momento, ambos testaram positivo para a covid-19 e o facto foi comunicado ao Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) de São Paulo”, acrescentou.


Diante dos resultados positivos, o laboratório Albert Einstein adotou a iniciativa de realizar o sequenciamento genético das amostras e notificou a Anvisa sobre os resultados positivos dos testes e sobre o início dos procedimentos para sequenciamento genético na última segunda-feira e, hoje, informou que, em análises prévias, foi identificada a variante Ómicron do Sars-Cov-2.


Agora, o material genético dos pacientes testados será enviado para o Instituto Adolfo Lutz (IAL) para confirmação do sequenciamento genético.


A Anvisa também informou oficialmente o Ministério da Saúde e as Secretarias de Saúde estadual e municipal de São Paulo sobre os casos para adoção das medidas de saúde pública adequadas.


A agência referiu que a entrada do passageiro no Brasil ocorreu no dia 23 de novembro, ou seja, antes da notificação mundial sobre a identificação da nova estirpe, que foi relatada pela primeira vez à Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela África do Sul no dia 24 de novembro.


A entrada também foi anterior à edição de uma portaria governamental que proibiu, com caráter temporário, voos com destino ao Brasil que tenham origem ou passagem pela África do Sul e que também suspendeu a autorização de embarque para o Brasil de viajantes estrangeiros, procedentes ou com passagem, nos últimos 14 dias antes do embarque, por esse país.


O Brasil é um dos países mais afetados pela pandemia de covid-19 e já registou mais de 614 mil mortos e pelo menos 22 milhões de casos da doença.


A covid-19 provocou pelo menos 5.206.370 mortes em todo o mundo, entre mais de 261,49 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.


A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.



CYR // VM


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário