26 Outubro 2021, 19:27

Covid-19: Brasil chega a 15,3 milhões de casos e 428 mil mortos

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Brasília, 12 mai 2021 (Lusa) – O Brasil ultrapassou hoje a barreira dos 15,3 milhões (15.359.397) de casos de covid-19 e dos 428 mil óbitos (428.034) desde o início da pandemia, informou o Ministério da Saúde brasileiro.


Desse total, 2.494 mortes e 76.692 novas infeções foram contabilizadas nas últimas 24 horas, de acordo com o último boletim epidemiológico difundido pela tutela da Saúde.


A taxa de incidência da covid-19 no Brasil, um dos três países mais afetados pela pandemia em todo o mundo, juntamente com os Estado Unidos e Índia, aumentou hoje para 204 mortes e 7.309 casos por 100 mil habitantes e a taxa letalidade continua fixada em 2,8%.


São Paulo, o estado mais rico e populoso do país, continua a ser o foco da doença no Brasil, concentrando 3.038.240 casos positivos e 102.356 vítimas mortais.


No total, três das 27 unidades federativas do país já têm mais de um milhão de diagnósticos de covid-19, cada (São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul), e 14 têm mais de 10 mil mortos.


O Brasil registou ainda a recuperação de 13,9 milhões de casos da doença, enquanto que 1.007.146 pacientes infetados permanecem sob acompanhamento médico.


O governador de São Paulo, João Doria, voltou hoje a afirmar que “entraves diplomáticos” estão a atrasar a chegada ao país de consumíveis necessários para a continuidade da produção da vacina Coronavac, do laboratório chinês Sinovac, mas produzida no Brasil pelo Instituto Butantan.


Segundo Doria, os consumíveis acabam já na próxima sexta-feira, o que poderá paralisar a produção do antídoto, o mais usado no Brasil no plano nacional de imunização contra a covid-19.


Nesse sentido, o governador de São Paulo indicou, na rede social Twitter, que pediu ao embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, que autorize o envio para o Brasil dos ingredientes para a Coronavac.


“Acabo de conversar por telefone com o embaixador da China no Brasil. (…) Me solidarizei e lamentei as declarações desastrosas feitas por membros do Governo Federal sobre a China. É o país que mais está ajudando a salvar a vida dos brasileiros, já que tanto a Coronavac, como a AstraZeneca dependem de insumos produzidos na China”, escreveu Doria.


“O Governo Federal deve um pedido de desculpas ao governo chinês pelo desrespeito ao país que está ajudando o Brasil a vencer a pandemia e salvar vidas”, acrescentou.


Em causa estão declarações feitas recentemente pelo Presidente do Brasil, Jair Bosloanro, que, sem citar explicitamente a China, insinuou que o novo coronavírus pode ter sido criado em laboratório para uma “guerra química”.


O Presidente brasileiro questionou ainda “qual o país” cujo PIB (Produto Interno Bruto) “mais cresceu” durante a pandemia.


Outros membros do Governo e até mesmo um dos filhos do Presidente, o deputado Eduardo Bolsonaro, também já fizeram declarações insinuando que o novo coronavírus foi criado na China para atender aos seus interesses económicos.


A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.319.512 mortos no mundo, resultantes de mais de 159,5 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.



MYMM // RBF


Lusa/fim

Sem comentários

deixar um comentário