25 Setembro 2022, 05:41

Covid-19: Cabo Verde com apenas 12 casos ativos e sem óbitos em março

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Praia, 04 abr 2022 (Lusa) – Cabo Verde conta hoje com 12 casos ativos de covid-19, face aos 16 há uma semana, e não registou qualquer óbito por complicações associadas à doença no mês de março, segundo dados oficiais.


Dados divulgados pelo Ministério da Saúde de Cabo Verde referem que desde o início da pandemia no país, em 20 de março de 2020, o arquipélago somou 55.961 casos de covid-19, que provocaram 401 óbitos, o último dos quais ocorrido em 22 de fevereiro.


Desta forma, não se registou qualquer óbito por covid-19 no mês de março, enquanto que em todo o mês de fevereiro foram registados cinco mortos por complicações associadas à doença, tantos como praticamente num único dia em janeiro, no pico de casos da pandemia no arquipélago, segundo o histórico disponibilizado pelo Ministério da Saúde.


No dia de hoje estão ativos no país 12 casos de covid-19 – sete dos quais na ilha do Sal -, quando há precisamente uma semana (28 de março) eram 16, tal como na semana anterior (21 de março).


Ao fim de um ano, Cabo Verde já administrou as duas doses da vacina contra a covid-19 a praticamente 75% da população adulta e a dose de reforço vai passar a ser obrigatória para concluir o esquema de vacinação.


Cabo Verde atingiu um recorde diário de cerca de 1.400 novos infetados com o novo coronavírus num único dia em janeiro, já com a nova variante Ómicron a circular no arquipélago, chegando então a registar mais de 7.000 casos ativos, mas a situação melhorou rapidamente a partir da segunda semana de janeiro.


Cabo Verde voltou em 06 de março à situação de alerta, o menos grave de três níveis, mantendo atualmente um nível “mínimo” de restrições devido à pandemia de covid-19, deixando de ser obrigatório a utilização de máscara na via pública.


A medida resultou da “avaliação positiva” da Direção Nacional de Saúde à situação epidemiológica do país, segundo informação do Governo.


Deixou de ser obrigatória a utilização de máscara na via pública, mas mantém-se a sua obrigatoriedade nos espaços fechados de atendimento público, exceto em discotecas.


Deixou também de ser exigida a apresentação de certificado de vacinação ou de teste negativo no acesso a restaurantes e bares, mas continua a ser necessária essa apresentação para aceder a discotecas e locais de diversão noturna, bem como nas viagens interilhas e internacionais.


Todo o país estava em situação de alerta – o nível menos grave de três previstos na lei que estabelece as bases da Proteção Civil — desde 28 de outubro de 2021, mas o aumento exponencial de novos casos de covid-19 após o período do Natal, e quando registava um Rt de 2,52, levou o Governo a aumentar um nível no final do ano (para situação de contingência, em que permanece ainda), apertando as regras, desde logo com a proibição de festas de passagem de ano e o regresso ao uso obrigatório de máscaras na via pública.



PVJ // LFS


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário