03 Dezembro 2021, 09:45

Covid-19: Cabo Verde com mais 26 infetados e um morto em 24 horas

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Praia, 22 mar 2021 (Lusa) — As autoridades sanitárias cabo-verdianas diagnosticaram mais 26 infetados pelo novo coronavírus, e um morto, nas últimas 24 horas, elevando para 16.517 os casos acumulados desde 19 de março de 2020, divulgou hoje o Ministério da Saúde.


Em comunicado, o ministério referiu que os laboratórios de virologia do arquipélago processaram 415 amostras desde domingo, com o concelho da Praia, capital do país, a confirmar mais 13 infetados (em 78 amostras), contando agora com 315 casos ativos.


No concelho da Praia registou-se ainda uma morte por complicações associadas à covid-19 desde domingo.


Ainda na ilha de Santiago foram confirmados casos do novo nos concelhos de São Miguel (um) e de São Domingos (um).


Na ilha do Sal, novo foco da doença no arquipélago, foram confirmados mais cinco novos infetados (em 171 amostras), passando a 88 casos ativos ao dia de hoje.


Foram registados casos de covid-19 também nas ilhas da Boa Vista (quatro), Santo Antão (um) e São Nicolau (um).


Nas últimas 24 horas foram dados como recuperados da doença 52 infetados, subindo para 160 o acumulado de óbitos por complicações associadas à covid-19 e cinco por causas externas.


Cabo Verde passa assim a contar com um acumulado de 16.517 casos da doença, desde 19 de março de 2020 (quando foi diagnosticado o primeiro doente no arquipélago), distribuídos por todos os 22 municípios das nove ilhas habitadas do arquipélago, segundo os dados do Ministério da Saúde.


O arquipélago regista hoje 540 casos ativos da doença e soma 15.804 considerados recuperados, enquanto dois infetados, estrangeiros, foram transferidos para os países de origem.


A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.716.035 mortos no mundo, resultantes de mais de 123 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.


A covid-19 é uma doença respiratória causada por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.



PVJ // LFS


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário