06 Fevereiro 2023, 06:54

Covid-19: Charles Michel convoca videoconferência para hoje para debater nova estirpe

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Bruxelas, 20 dez 2020 (Lusa) – O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, convocou para hoje uma videoconferência para partilhar informações com os países da União Europeia sobre a nova estirpe de covid-19 detetada no sul do Reino Unido.


A reunião telemática visa ainda “partilhar as medidas” tomadas pelos 27 estados-membros da UE no combate à propagação do novo coronavírus, indicaram fontes de Bruxelas à agência espanhola Efe.


O evento “envolve representantes dos estados-membros”, mas “não ao nível dos dirigentes”, especificaram as mesmas fontes, num dia em que os líderes de França, Alemanha e União Europeia já estiveram reunidos por via digital sobre o mesmo assunto.


O chefe de Estado da França, Emmanuel Macron, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, analisaram a nova variante do novo coronavírus, sem que tenham sido ainda anunciados resultados.


A reunião por videoconferência aconteceu algumas horas depois de Países Baixos, Bélgica, Itália e, mais tarde, Alemanha e Áustria terem decidido suspender os voos e transportes marítimos provenientes do Reino Unido, onde surgiu uma nova variante da covid-19.


A República da Irlanda deve anunciar esta noite um pacote de medidas idênticas, que vão entrar em vigor às 00:00 de segunda-feira, tal como Alemanha e França, enquanto Israel já decidiu interditar a entrada no país de cidadãos estrangeiros oriundos do Reino Unido.


Tal como Portugal, em que uma fonte do Ministério dos negócios estrangeiros disse hoje à Lusa estar a aguardar por uma posição por parte da UE, a Espanha foi mais longe, e pediu a Bruxelas uma resposta comunitária coordenada para proibir o tráfego aéreo com o Reino Unido, evitando-se uma medida “unilateral”.


As autoridades britânicas alertaram a Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a descoberta da nova variante do SARS-CoV-2, que acelera a sua transmissão até 70%, tendo a entidade apelado aos seus membros na Europa para “reforçarem os controlos”.


Embora não haja provas de que a nova estirpe seja mais letal ou que possa ter impacto na eficácia das vacinas desenvolvidas, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, foi forçado a modificar os planos para os movimentos da população britânica no Natal.


Segundo os cientistas britânicos, a nova estirpe parece ser responsável pelo aumento preocupante das infeções em Londres e em vários condados do sudeste e leste da Inglaterra, tendo obrigado a confinar mais de 20 milhões de pessoas.


O Reino Unido está na lista dos 10 países mais afetados pela pandemia, ao somar mais de dois milhões de casos de infeção e 67.401 mortes.


A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.685.785 mortos resultantes de mais de 76,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.



RYTF (JSD) // EL


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário