08 Dezembro 2021, 13:01

Covid-19: Desigualdade no acesso às vacinas é grotesca, diz diretor-geral da OMS

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Genebra, Suíça, 22 mar 2021 (Lusa) – O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou hoje como grotesca a desigualdade entre países ricos e pobres no acesso às vacinas contra a covid-19, que disse estar a aumentar.


Segundo Tedros Adhanom Ghebreyesus, a diferença entre o número de vacinas administradas nos países ricos e nos países pobres (nestes últimos através do mecanismo de distribuição universal e equitativa Covax) “cresce a cada dia”.


“E cada dia é mais grotesca”, afirmou, na videoconferência de imprensa regular sobre a pandemia, assinalando que “pouco foi feito” para evitar a “catástrofe moral” que vaticinou em janeiro para o mundo caso não fossem adotadas medidas que assegurassem a distribuição equitativa de vacinas.


“Temos os meios para prevenir esta catástrofe”, sustentou, sublinhando que a distribuição desigual de vacinas contra a covid-19, além de “um ultraje moral”, compromete a economia e o combate epidemiológico.


“Alguns países estão a tentar vacinar toda a população enquanto outros não têm nada. Isto pode permitir [a esses países] uma certa segurança a curto prazo, mas na realidade é uma falsa segurança”, sentenciou Tedros Adhanom Ghebreyesus, alertando para o aumento da probabilidade da resistência das vacinas ao coronavírus SARS-CoV-2 se houver mais variantes a circularem.


“O vírus vai ganhar tempo para mudar, e talvez as vacinas não vão funcionar”, advertiu, apelando ao aumento urgente da produção, distribuição e administração de vacinas para “derrotar o vírus”.


A pandemia da covid-19 provocou, pelo menos, 2.716.035 mortos no mundo, resultantes de mais de 123 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência noticiosa francesa AFP.


Em Portugal, morreram 16.784 pessoas dos 817.778 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.


A covid-19 é uma doença respiratória causada por um novo coronavírus (tipo de vírus) detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China, e que se disseminou rapidamente pelo mundo.



ER // JMR


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário