09 Dezembro 2022, 23:35

Covid-19: Espanha regista 1.801 novos casos e 94 mortes nas últimas 24 horas

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Madrid, 05 out 2021 (Lusa) — A Espanha registou 1.801 novos casos de infeções de covid-19 nas últimas 24 horas, tendo o Ministério da Saúde espanhol também notificado mais 94 mortes atribuídas à doença durante este período.


O número total de casos registados no país desde o início da pandemia é de 4.967.200 e já morreram 86.621 pessoas devido à doença.


Por outro lado, a incidência acumulada de contágios continua a baixar, tendo passado de 54 casos (segunda-feira) para 53 (hoje) por cada 100.000 habitantes nos últimos 14 dias.


Nas últimas 24 horas, deram entrada nos hospitais de todo o país 192 pessoas com covid-19, das quais 44 em Madrid, 37 na Catalunha e 25 na Andaluzia.


O número de doentes hospitalizados subiu para 2.509 (eram 2.364 na segunda-feira), o que corresponde a 2,06% das camas.


Destes, 604 estão em unidades de cuidados intensivos (637 na segunda-feira), ocupando 6,61% das camas desses serviços.


As regiões espanholas do País Basco e da Andaluzia anunciaram que vão eliminar a maior parte das restrições no quadro das medidas de luta contra a covid-19 a partir de quinta-feira.


Em Espanha, cada uma das 17 regiões em que o país está dividido tem autonomia em questões de saúde, o que leva a que cada uma delas tenha medidas próprias contra a doença.


O País Basco vai eliminar todas as restrições, como os limites de horários e de lotação em espaços públicos, e três quartos da população da Andaluzia deixa de ter restrições à doença.


A covid-19 provocou pelo menos 4.805.049 mortes em todo o mundo, entre mais de 235,30 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.


A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.



FPB // CSJ


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário