08 Dezembro 2021, 15:37

Covid-19: “Espetáculos culturais” até às 22:30 a partir deste fim de semana

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 29 abr 2021 (Lusa) – Os “espetáculos culturais” passam a ter as 22:30 como hora limite, a partir de sábado, anunciou hoje o primeiro-ministro, no final da reunião do Governo, que antecipou em dois dias o termo das restrições do estado de emergência.



O horário aplica-se diariamente, em dias úteis e fim de semana, de acordo com a resolução aprovada hoje em Conselho de Ministros, que declara a situação de calamidade em todo o território nacional continental, a partir das 00:00 do dia 1 de maio, até ao último minuto do próximo dia 16 de maio, como explicou o primeiro-ministro, António Costa.



Os novos horários dão continuidade à retoma das atividades culturais empreendida faseadamente, em 15 de março, dia em que puderam reabrir livrarias, lojas de discos, bibliotecas e arquivos.



Seguiram-se, em 05 de abril, reabrir museus, monumentos, palácios, galerias de arte e similares e, em 19 de abril, teatros, salas de espetáculos e cinemas, altura em que também puderam ser retomados “eventos no exterior, sujeitos a aprovação da Direção-Geral da Saúde [DGS]”.



A realização de “grande eventos exteriores e interiores” estava prevista para maio, também sujeitos a aprovação e lotação definidas pela DGS.



O primeiro “evento-teste piloto”, no contexto de avaliação de grandes espetáculos, está a realizar-se hoje, no espaço exterior do Altice Forum Braga. Trata-se de um espetáculo de comédia, com lugares sentados e marcados, que conta com Fernando Rocha, acompanhado por João Seabra e Pedro Neves.



O segundo, na sexta-feira, sem lugares sentados, contará com o músico Pedro Abrunhosa.



Os dois espetáculos-teste, no contexto da pandemia, preveem uma lotação de 400 espectadores.



O público é alvo de testes rápidos antigénio, no próprio dia, entre as 10:00 e as 19:00, feitos pela Cruz Vermelha Portuguesa, e só pode aceder ao evento com um resultado negativo.



 



MAG (JRS/VFP) // PDF



Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário