06 Dezembro 2021, 23:22

Covid-19: Estados Unidos “muito preocupados” com ameaça da variante Delta na recuperação económica global

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Veneza, Itália, 11 jul 2021 (Lusa) – Os Estados Unidos estão “muito preocupados” com a variante Delta do SARS-CoV-2 e outras mutações do vírus que possam “ameaçar” a recuperação económica global, disse hoje a secretária do Tesouro norte-americana, Janet Yellen, em Veneza.


“Estamos muito preocupados com a variante Delta e outras variantes que possam surgir e ameaçar a recuperação [económica]. Estamos numa economia global conectada, o que acontece em qualquer parte do mundo afeta todos os outros países”, disse Janet Yellen durante uma conferência de impresa à margem do G20.


“As variantes representam uma ameaça para o mundo inteiro”, insistiu, pedindo “um trabalho conjunto para acelerar o processo de vacinação e ter como meta a vacinação de 70% da população mundial no próximo ano”.


Quando se trata de vacinas, “precisamos fazer mais e ser mais eficazes”, disse a secretária do Tesouro.


No sábado, os ministros das Finanças do G20, reunidos em Veneza, alertaram para os “riscos negativos” para a recuperação da economia global devido à “disseminação de novas variantes do novo coronavírus e às diferentes taxas de vacinação”.


Se nos últimos meses a situação económica mundial “melhorou, principalmente graças ao aumento da vacinação”, o G20 lembrou em seu último comunicado que a página da crise ainda não foi virada.


A variante Delta altamente contagiosa do SARS-CoV-2 continua a impedir a retomada das atividades em todo o mundo. Está a causar surtos epidémicos na Ásia e em África e está a aumentar o número de casos na Europa e nos Estados Unidos.


A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 4,01 milhões de mortos em todo o mundo, resultantes de mais de 185,5 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente feito pela agência France-Presse.


A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, uma cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.



CSR // MSF


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário